Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bolsas europeias cedem com realização de lucros

As principais bolsas europeias operam em baixa nesta manhã de quinta-feira, em movimento de realização de lucros depois dos fortes ganhos de ontem. Embora a especulação sobre a criação de um banco ruim nos EUA e até mesmo na Alemanha ainda domine, a questão, segundo um operador, não está tão clara quanto se pensou inicialmente, e essa percepção tira impulso do mercado.

Agência Estado |

O estrategista de ações do Deutsche Bank Bernd Meyer apontou também, como motivo para a queda das bolsas hoje, a decepção dos investidores com a última rodada de resultados corporativos. Esses balanços serviram de lembrete sobre as fracas condições econômicas atuais. "Os lucros precisam encontrar um piso para que os mercados tenham uma reversão sustentável", disse ele. Um operador de Londres destacou que o comunicado divulgado ontem pelo Federal Reserve (Fed, banco central americano), após sua decisão de política monetária, sinaliza que a economia continuará fraca por um tempo.

Os investidores, de todo modo, continuarão com a atenção voltada ao Capitólio. Ontem à noite, a Câmara de Representantes dos EUA aprovou um pacote de estímulo à economia de US$ 819 bilhões, um dos maiores da história. Na semana que vem, uma versão um pouco diferente do pacote, que inclui mais US$ 68 bilhões em cortes de impostos, defendidos por republicanos, deverá ser votada no Senado. Depois disso, Câmara e Senado vão debater para chegar a uma versão final da lei. Qualquer uma dessas cifras elevará a dívida norte-americana a níveis que não são vistos desde a Segunda Guerra Mundial.

Em Londres, notícias de empresas derrubam o mercado. As ações da Xstrata caíam 16%, depois de a mineradora anunciar que fará uma emissão de ações com direito preferencial de subscrição. O objetivo é levantar 4,1 bilhões de libras (US$ 5,9 bilhões) e melhorar seu balanço patrimonial. Ainda no setor, Rio Tinto caía 7,6%, Anglo American cedia 6,3% e BHP Billiton perdia 4,7%.

Royal Dutch Shell recuava 0,18%, após anunciar que obteve prejuízo líquido de US$ 2,81 bilhões no quarto trimestre de 2008, saindo do lucro líquido de US$ 8,47 bilhões registrado em igual período do ano anterior. A companhia, que é a maior petrolífera da Europa, foi prejudicada pela forte queda dos preços do petróleo. Os bancos estavam novamente sob pressão, com Barclays em baixa de 8% e Lloyds em queda de 9,4%.

Frankfurt cai com realização de lucros, depois de acumular ganho de 8% desde segunda-feira. De acordo com um operador, o Dax tem suporte em 4.421 pontos e resistência em 4.616 pontos. Basf subia 1,8%, após o Commerzbank afirmar que espera que o setor químico será um dos primeiros a se recuperar no atual ciclo econômico e citar a Basf como top pick. Ações de montadoras recuavam, em linha com as demais companhias europeias do setor (BMW -5,2%, Volks -3,4% e Daimler -2,3%).

Às 8h32 (de Brasília), o índice FT-100, da Bolsa de Londres, caía 1,82%; o índice CAC-40, da Bolsa de Paris, recuava 1,44%; o índice Dax, da Bolsa de Frankfurt, cedia 1,40%. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG