Tamanho do texto

NOVA YORK - O mercado norte-americano de ações fechou em alta forte nesta sexta-feira, depois de ter caído significativamente em reação ao informe sobre o nível de emprego nos EUA em novembro - a taxa de desemprego subiu a 6,7%, a maior desde outubro de 1993. O dia foi de muita volatilidade, com o índice Dow Jones oscilando quase 570 pontos entre a mínima e a máxima. A alta foi liderada pelas ações dos setores financeiro e de consumo.

O índice Dow Jones fechou em alta de 259,18 pontos, ou 3,09%, em 8.635,42 pontos. A mínima foi em 8.118,50 pontos e a máxima em 8.686,47 pontos. O Nasdaq fechou em alta de 63,75 pontos, ou 4,41%, em 1.509,31 pontos. O S&P-500 subiu 30,85 pontos, ou 3.65%, para fechar em 876,07 pontos.

O NYSE Composite subiu 168,99 pontos, ou 3,23%, para 5.401,25 pontos. Na semana, o Dow Jones acumulou uma queda de 2,19%, o Nasdaq, uma perda de 1,71% e o S&P-500, um recuo de 2,25%.

Operadores disseram que a alta das ações do setor financeiro nesta sexta pode ter resultado de cobertura de posições. "Eu não gosto de ver o mercado subir com pouco volume. Gostaria de vê-lo subir com grande volume de negócios, mas o que está acontecendo é o contrário. É uma atividade clássica num mercado em tendência de queda", observou Kevin Kruszenski, da KeyBanc Capital Markets.

Destaques do dia

Em dia de nova audiência no Congresso sobre a possibilidade de o governo ampliar a ajuda financeira às montadoras, as ações da General Motors recuaram 0,73% e as da Ford subiram 2,26%. No setor de consumo, os destaques foram Tiffany (+11,53%), Sears (+13,60%), Wal-Mart (+5,63%) e Home Depot (+5,08%). As informações são da Dow Jones.