Tamanho do texto

SÃO PAULO - As decisões de juros do Banco Central Europeu (BCE) e do Banco da Inglaterra e a situação fiscal e econômica da Grécia guiavam em parte os negócios nas principais bolsas da Europa. Os agentes estão cautelosos ante a possibilidade de Atenas não conseguir honrar compromissos. A taxa de juro demandada por investimentos para os bônus do governo grego atingiu nova máxima na comparação com o título da dívida da Alemanha, que tem a menor taxa na zona do euro.

SÃO PAULO - As decisões de juros do Banco Central Europeu (BCE) e do Banco da Inglaterra e a situação fiscal e econômica da Grécia guiavam em parte os negócios nas principais bolsas da Europa. Os agentes estão cautelosos ante a possibilidade de Atenas não conseguir honrar compromissos. A taxa de juro demandada por investimentos para os bônus do governo grego atingiu nova máxima na comparação com o título da dívida da Alemanha, que tem a menor taxa na zona do euro. Tanto o BCE como o BC da Inglaterra decidiram pela manutenção de suas respectivas taxas de juro, em 1% e 0,5%, nesta ordem. Minutos atrás, o FTSE-100, de Londres, cedia 0,95%, para 5.707,17 pontos. O CAC-40, de Paris, perdia 1,36%, aos 3.972,13 pontos. Em Frankfurt, o DAX declinava 1% e estava em 6.160,03 pontos. (Juliana Cardoso | Valor, com agências internacionais)
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.