Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bolsas de NY tem despencam 4% em dia de derrocada do Lehman

SÃO PAULO - As bolsas de Nova York despencaram cerca de 4% hoje, com o índice Dow Jones registrando a maior perda diária em quase sete anos após o Lehman Brothers ter pedido concordata e o Merrill Lynch ter sido vendido de forma emergencial para o Bank of America. Ao final do dia, o Dow Jones mostrou queda de 4,42%, aos 10.

Valor Online |

917,51 pontos. O Standard & Poor´s 500 despencou 4,71%, para 1.192,70 pontos e o Nasdaq Composite caiu 3,60%, para 2.179,91 pontos.

As ações do setor financeiro tiveram as maiores perdas do dia, com destaque para os papéis do Lehman Brothers, que despencaram 94,25%, para US$ 0,21. Outros bancos também viram seu valor de mercado cair de forma acentuada. Os papéis do Citigroup perderam 15,14% (US$ 15,24), os do Goldman Sachs recuaram 12,13% (US$ 135,50) e os do Morgan Stanley cederam 13,54% (US$ 32,19).

A notícia da aquisição do Merrill Lynch pelo Bank of America (BofA), em operação que embutia prêmio de 70% sobre o valor de fechamento de sexta-feira, não foi suficiente para garantir a recuperação dos papéis do banco de investimento. Após uma alta de cerca de 30% durante o dia, as ações do Merrill Lynch encerram a segunda-feira a US$ 17,06, com alta de 0,06%.

Já os papéis do BofA despencaram 21,31% (US$ 26,55), com a redução do rating do banco após o anúncio da aquisição no valor de US$ 50 bilhões.

Ainda no setor financeiro, as ações da AIG derreteram. O papel da seguradora perdeu 60,79% do valor, cotado a US$ 4,76. Notícias davam conta de que a companhia estaria buscando US$ 40 bilhões tanto no mercado como com fontes do governo para melhorar seus índices de solvência. No meio do dia, a AIG foi autorizada pelo governo de Nova York a ter acesso a US$ 20 bilhões em ativos de suas subsidiárias, mas o anúncio não foi suficiente para tirar os investidores da ponta vendedora.

As medidas de apoio do Federal Reserve (Fed), banco central norte-americano, que ampliou as linhas de crédito emergencial para os principais bancos de Wall Street, foram elogiadas, mas não bastaram para tirar o pânico do mercado.

O anúncio de um grupo de dez bancos dizendo que fariam um esforço para maximizar o nível de liquidez dos mercados também acabou não tendo resultado prático. As taxas de juros cobradas no mercado interbancário chegaram a 4% ao longo do dia, sendo que deveriam ficar perto da taxa básica de 2% em um dia comum.

"(Valor Online, com agências internacionais)"

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG