Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bolsas de NY sobem com dados da China e da Europa

As Bolsas norte-americanas abriram o primeiro pregão do segundo trimestre em alta, diante dos sinais de recuperação da atividade industrial na Ásia e na Europa e de uma queda superior à esperada nos pedidos de auxílio-desemprego feitos na semana passada nos EUA. Amanhã, o mercado não opera em consequência do feriado da Sexta-Feira Santa.

AE |

As Bolsas norte-americanas abriram o primeiro pregão do segundo trimestre em alta, diante dos sinais de recuperação da atividade industrial na Ásia e na Europa e de uma queda superior à esperada nos pedidos de auxílio-desemprego feitos na semana passada nos EUA. Amanhã, o mercado não opera em consequência do feriado da Sexta-Feira Santa. A forte apreciação do petróleo e dos metais nos mercados futuros esta manhã também pode influenciar os papéis de ambos setores.<p><p>Às 10h32, o índice Dow Jones registrava alta de 0,71% e o Nasdaq operava com ganho de 0,70%. O S&P 500 avançava 0,77%. Os índices ampliaram seus ganhos com a divulgação dos dados sobre pedidos de auxílio-desemprego feitos na semana passada, um contraponto aos números desanimadores de ontem da ADP, sobre vagas de emprego no setor privado. Ontem, a ADP informou corte de 23 mil vagas no setor privado, enquanto se esperava criação de 50 mil postos de trabalho.<p><p>Hoje, o Departamento do Trabalho informou que o número de trabalhadores norte-americanos que entraram com pedido de auxílio-desemprego pela primeira vez caiu 6 mil, para 439 mil, enquanto economistas esperavam queda de 2 mil pedidos. O Departamento do Trabalho informou ainda que a média móvel de pedidos feitos em quatro semanas caiu ao menor nível desde 13 de setembro de 2008 e que o número total de norte-americanos que recebiam auxílio-desemprego cedeu ao menor nível desde dezembro de 2008.<p><p>Mas antes mesmo da informação o mercado vinha otimista, depois da divulgação dos índices de atividade industrial de gerentes de compras na China e na Europa, além do relatório japonês tankan, sobre o sentimento das grandes empresas.<p><p>Agora, investidores esperam pelos dados sobre a atividade industrial nos Estados Unidos em março, do Instituto para Gestão de Oferta, que serão divulgados meia hora após o início do pregão regular. No mesmo horário, às 11h (de Brasília), serão divulgados também os gastos com construção em fevereiro. As informações são da Dow Jones.
Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG