As Bolsas de Nova York abriram com oscilação, apontando para um possível dia de volatilidade hoje em Wall Street

As Bolsas de Nova York abriram com oscilação, apontando para um possível dia de volatilidade hoje em Wall Street. Os investidores estão cautelosos com o fato de que a promessa dos líderes mundiais para cortar os déficits orçamentários poderá prejudicar o crescimento global. Às 10h35 (de Brasília), o Dow Jones subia 0,01%, o Nasdaq perdia 0,09% e o S&P 500 avançava 0,10%.

Indicadores econômicos nos Estados Unidos dão respaldo à cautela. Os gastos dos consumidores norte-americanos, um motor importante para o crescimento da economia dos EUA, subiram 0,2% em maio, enquanto a renda pessoal aumentou 0,4%, de acordo com o Departamento de Comércio do país. Os números ficaram em linha com o esperado pelos analistas.

O índice de preços de gastos com consumo pessoal (PCE) ficou inalterado em maio em relação a abril, enquanto o núcleo, que exclui alimentos e energia, subiu 0,2%, informou o Departamento do Trabalho. O núcleo do índice superou levemente a previsão dos economistas, de que avançaria 0,1%. Durante o fim de semana, os líderes das economias mais avançadas do mundo se reuniram em Toronto, Canadá, e prometeram cortar à metade os déficits dos governos até 2013.

Os ADRs da BP subiam 2,4% no pré-mercado. A companhia informou que os custos com a limpeza do vazamento no Golfo do México subiram para US$ 2,65 bilhões, um aumento de US$ 300 milhões em relação à estimativa feita na sexta-feira. Porém, os papéis foram beneficiados pela redução das preocupações com a tempestade Alex, que poderia dificultar ainda mais os trabalhos para conter o vazamento. Segundo o Cento Nacional de Furacões dos EUA, o Alex está se desviando da região do desastre.

A Apple também subiu no pré-mercado, após informar que vendeu mais de 1,7 milhão de iPhones 4 nos três primeiros dias de lançamento. A empresa afirmou que o produto teve o lançamento mais bem sucedido da história da companhia. A possibilidade de o Congresso dos EUA aprovar a reforma do setor financeiro nesta semana foi ofuscada hoje pelo falecimento do senador democrata Robert Byrd, o senador mais antigo do país, que atuou por mais de cinco décadas. Sua morte deixa os democratas com apenas 56 dos 60 votos necessários para bloquear qualquer tentativa de obstruir os trabalhos legislativos com relação ao projeto de lei. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.