Ações européias despencam e tem pior fechamento em 4 anos http://ultimosegundo.ig.com.br/economia/2008/10/06/g7_se_reunira_na_sexta_feira_para_discutir_plano_contra_crise_1980244.htmlG7 se reunirá na sexta-feira para discutir plano contra a crise" /
Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bolsas de NY operam em queda com temor sobre crise

NOVA YORK - As Bolsas de Nova York abriram em queda nesta segunda-feira, com os mercados americanos embarcando na onda de vendas de ações que atinge as principais bolsas do mundo esta manhã para evitar prejuízos maiores (stop loss). http://ultimosegundo.ig.com.br/economia/2008/10/06/acoes_europeias_tem_perda_recorde_e_pior_fechamento_em_4_anos_1979486.htmlAções européias despencam e tem pior fechamento em 4 anos http://ultimosegundo.ig.com.br/economia/2008/10/06/g7_se_reunira_na_sexta_feira_para_discutir_plano_contra_crise_1980244.htmlG7 se reunirá na sexta-feira para discutir plano contra a crise

Agência Estado |

Acordo Ortográfico

A aprovação do pacote de US$ 700 bilhões na semana passada pelo Congresso dos Estados Unidos não é suficiente para conter a crise de confiança nos bancos e nos mercados de crédito que se espalha pelo mundo.

Às 13h55 (de Brasília), o índice Dow Jones recuava 5,38%, o Nasdaq-100 tinha baixa de 6,35% e o S&P 500 caía 5,27%.

O acordo do governo dos EUA para comprar "ativos podres" deveria melhorar as condições de crédito no curto prazo e interromper a série de falências bancárias e de ajudas governamentais ao aliviar as pressões sobre a solvência das instituições. Mas, até agora, não há esse efeito. As taxas de juros no interbancário de curto prazo seguem subindo, um sinal de que o plano não está combatendo o problema imediato enfrentado por empresas e alguns Estados americanos para captar recursos.

"Ninguém conseguirá curar todos os aspectos dessa crise de uma vez só", disse o operador sênior de ações da Keefe Bruyette & Woods, Peter McCorry. "A confiança é a principal questão do momento, e é a base de tudo para o que está ocorrendo".

Outra razão para a debilidade das ações é a percepção de que a crise de crédito já empurrou as economias para além de um ponto de inflexão e que a recessão americana está quebrando o ritmo de rápido crescimento de alguns países da Ásia e Europa.

Ações

No campo corporativo, as ações da Hartford Financial Services subiam 5,8% no pré-mercado em Nova York, na contramão do restante, após a seguradora informar que recebeu um investimento de US$ 2,5 bilhões da alemã Allianz.

O grupo também alertou que registrará grande prejuízo trimestral e anunciou um corte de 40% de seus dividendos. Wachovia perdia 3,9%. Segundo o jornal americano Wall Street Journal, o Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) está pressionando o Citigroup e o Wells Fargo a fechar um acordo para dividir a instituição entre si. As informações são da Dow Jones.

Leia mais sobre bolsas norte-americanas

Leia tudo sobre: bolsas dos eua

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG