Os índices do mercado de ações dos Estados Unidos operam em baixa, em meio ao declínio nos papéis de empresas ligadas aos segmentos de matérias-primas e do setor financeiro - que puxaram os ganhos nas bolsas ontem - e a indicadores mistos sobre a economia norte-americana. Às 13h55 (de Brasília), o Dow Jones caía 1,57%, para 9.

803 pontos, refletindo o declínio nos papéis de empresas como Alcoa (-4,00%) e Bank of America (-4,32%). Entre outros componentes do índice, a Chevron recuava 2,16% depois de divulgar que seu lucro encolheu 51% no terceiro trimestre deste ano em relação a igual período de 2008. O resultado, no entanto, foi melhor que o previsto por analistas de Wall Street.

O Nasdaq recuava 1,60%, para 2.063 pontos, enquanto o S&P 500 perdia 1,77%, para 1.047 pontos. Na semana, o Dow Jones acumula queda de 1,78%, o Nasdaq de 4,27% e o S&P 500 de 3,07%. No mês, Dow Jones registra ganho de 0,85%, mas Nasdaq cai 2,83% e S&P 500 recua 1,00%.

Ontem, as bolsas norte-americanas fecharam em alta após dados mostrarem que o Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA voltou a crescer depois de quatro trimestres consecutivos de contração, revigorando o apetite dos investidores por ativos arriscados. Hoje, porém, os indicadores apresentaram um quadro misto sobre a economia e as ações retomaram o movimento de baixa observado desde o início da semana. "Neste ponto, as ações provavelmente estão vulneráveis a um recuo no curto prazo", disse Steven Goldman, estrategista de mercado da Weeden & Co. Ele afirmou que na sessão de ontem o volume foi menor do que na quarta-feira, quando os índices recuaram.

Antes da abertura do mercado, o Departamento de Comércio dos EUA divulgou que os gastos pessoais dos norte-americanos caíram 0,5% em setembro em relação ao mês anterior - declínio mais acentuado desde dezembro de 2008, porém em linha com a previsão de economistas. Em agosto, os gastos cresceram 1,4%, em dado revisado, impulsionados pelos incentivos do programa "Dinheiro por Sucata".

O Departamento do Comércio afirmou também que a renda pessoal dos norte-americanos ficou estável em setembro e que o núcleo do índice de preços para gastos com consumo pessoal (PCE) subiu 0,1% no mesmo período em relação a agosto. Posteriormente, o Instituto para Gestão de Oferta de Chicago anunciou que seu índice de atividade industrial subiu para 54,2 em setembro, sinalizando expansão da atividade, de 46,1 em setembro. A previsão dos economistas era de 49,5.

Além disso, o índice de sentimento do consumidor nos EUA caiu de 73,5 em setembro para 70,6 ao final de outubro, mas ficou acima da previsão de analistas, que era de queda para 69,8. Os movimentos em outros mercados mostravam que os investidores seguem uma tendência de aversão ao risco. Às 13h56 (de Brasília), o euro caía para US$ 1,4728, de US$ 1,4835 onte. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.