As Bolsas de Nova York operam em queda acentuada hoje e o índice Dow Jones chegou a cair quase 3%, refletindo o temor dos investidores depois do pedido de concordata do Lehman Brothers e da venda do Merrill Lynch para o Bank of America (BofA). Na esteira, as ações dos dois únicos bancos de investimento que restam, Morgan Stanley e Goldman Sachs, também são pressionadas.

A preocupação do mercado recai ainda sobre a seguradora American International Group (AIG) e o Washington Mutual.

Às 12h14 (de Brasília), o índice Dow Jones perdia 2%, o Nasdaq caía 1,19% e o S&P 500 tinha queda de 1,75%. No mesmo horário, o Lehman despencava 95%, o BofA caía 15,95%, AIG perdia 43,7% e Washington Mutual cedia 19,7%. Goldman Sachs tinha queda de 4,5% e Morgan Stanley recuava 7%. Já Merrill subia 26,1%.

Desde o resgate do Bear Stearns em março, o declínio do valor das hipotecas derrubou instituições vistas no passado como impassíveis a crises de liquidez. Na semana passada, as agências hipotecárias Freddie Mac e Fannie Mae foram forçadas a buscar assistência do governo dos Estados Unidos. Hoje, foi a vez do Lehman Brothers entrar com pedido de concordata, enquanto o Merrill Lynch concordou em ser comprado pelo BofA por US$ 50 bilhões.

A seguradora AIG tentou um empréstimo emergencial de curto prazo (empréstimo-ponte) de US$ 40 bilhões junto ao Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA), revelou a edição de ontem do jornal New York Times (NYT), citando uma fonte próxima da negociação. A agência de classificação de risco Standard & Poor's (S&P) ameaçou rebaixar a nota de risco de crédito (rating) da AIG, o que tornaria mais caro para a seguradora obter um empréstimo.

"Não há dúvida de que estamos vendo um efeito dominó", disse Art Cashin, chefe de operações do UBS na NYSE. "Essa provavelmente é a razão pelo qual o Fed estava tão interessado em um casamento para o Merrill (...) Ele provavelmente seria o próximo alvo", acrescentou.

As vendas de ações vão além do setor financeiro. Contudo, as ações de companhias aéreas conseguem se destacar em alta, embaladas pelo declínio dos preços de petróleo. Às 12h05 (de Brasília), AMR subia 8% e Continental ganhava 5,7%.

Algumas ações de seguradoras também registram ganhos. Travelers e Ace, mais concentradas em seguros de propriedade e acidentes com grande presença comercial, subiam 3% e 4%, respectivamente, enquanto Allstate, mais focada em consumidores, avançava 2,3%. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.