Tamanho do texto

As Bolsas de Nova York abriram em baixa hoje, diante do prejuízo da agência hipotecária Fannie Mae no segundo trimestre deste ano, que pesa no desempenho do setor financeiro. Porém, o contínuo declínio dos preços do petróleo no mercado internacional e a forte valorização do dólar ante o euro trazem certo alívio e devem impedir quedas mais acentuadas.

Às 10h32 (de Brasília), o índice Dow Jones caía 0,33%, o Nasdaq 100 recuava 0,12% e o S&P 500 cedia 0,28%.

As ações da Fannie Mae despencaram 13% no pré-mercado em Wall Street, em reação ao anúncio de corte de US$ 25,00 para US$ 5,00 de seu dividendo, diante de um prejuízo de US$ 2,3 bilhões ou US$ 2,54 por ação no segundo trimestre de 2008. Analistas previam que a agência hipotecária anunciasse prejuízo de US$ 0,68 por ação. A Fannie Mae registrou US$ 5,35 bilhões em prejuízos com crédito, incluindo US$ 3,7 bilhões em reservas contra perdas.

Outras ações do setor, como Freddie Mac e UBS, também recuaram no pré-mercado. Já a seguradora de bônus MBIA saltou 11%, em reação ao lucro líquido de US$ 1,7 bilhão no segundo trimestre, o que representa uma alta de mais de 700% ante igual período do ano anterior, por causa de ganhos extraordinários. A instituição disse que não mudou fortemente suas estimativas de perdas relacionadas a hipotecas.

O petróleo segue em queda acentuada, com o fortalecimento do dólar ante as principais moedas estrangeiras e as persistentes preocupações com demanda pesando nos negócios com a matéria-prima (commodities). Às 10h36 (de Brasília), o contrato futuro do petróleo tipo WTI com vencimento em setembro recuava 1,67% a US$ 118,02 o barril, na sessão eletrônica da Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex, na sigla em inglês).

Agenda

Um fator que pode ajudar no comportamento do mercado acionário hoje é o relatório do Departamento de Trabalho dos Estados Unidos, que mostrou que a produtividade nos país continuou elevada no segundo trimestre deste ano, com alta de 2,2%. Mas a expectativa era de alta de 2,5%. O custo da mão-de-obra subiu 1,3%, ante previsão de aumento de 1,6%. As informações são da Dow Jones.