Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bolsas de NY abrem em baixa, de olho no Senado

As Bolsas americanas abriram em baixa hoje, com o mercado à espera da votação no Senado dos Estados Unidos do plano imobiliário aprovado ontem pela Câmara e em reação a mais uma enxurrada de balanços corporativos. Às 10h34 (de Brasília), o índice Dow Jones caía 0,26%, o Nasdaq-100 cedia 0,16% e o S&P recuava 0,12%.

Agência Estado |

Além da votação no Senado, os investidores também aguardam as vendas de imóveis residenciais usados nos Estados Unidos em junho, dado previsto para às 11 horas (de Brasília). Mais cedo, o Departamento de Trabalho americano anunciou que os pedidos de auxílio-desemprego feitos nos EUA na semana encerrada no último sábado (dia 19) avançaram em 34 mil, para 406 mil na semana, a maior taxa sazonalmente ajustada desde setembro de 2005. Analistas previam que os pedidos tivessem incremento de 14 mil.

Ações

No cenário corporativo, as ações da montadora Ford caíram 5,8% no pré-mercado em Wall Street. A empresa registrou baixa contábil de US$ 7,4 bilhões no segundo trimestre e anunciou prejuízo líquido de US$ 8,67 bilhões (US$ 3,88 por ação) no período, ante lucro de US$ 750 milhões (US$ 0,31 por ação) no segundo trimestre de 2007. A receita recuou 13%, para US$ 38,6 bilhões.

O resultado da Dow Chemical também desagradou e as ações declinaram 0,73% no pré-mercado. O lucro da companhia caiu 27% no segundo trimestre de 2008, para US$ 762 milhões (US$ 0,81 por ação).
No setor de tecnologia, a Amazon.com operava com alta de 8,73% no pré-mercado em Wall Street. Ontem à noite, o site de vendas anunciou lucro de US$ 158 milhões (US$ 0,37 por ação) no segundo trimestre, 103% acima do registrado em igual período de 2007. Outro papel de tecnologia, o da Qualcomm, disparou 21,6% no pré-mercado. A empresa fechou acordo com a finlandesa Nokia sobre vários padrões de tecnologia, como GSM e WiMax. O acordo põe fim a todos os litígios entre as duas companhias. Além disso, a Qualcomm elevou a previsão de lucro por ação em 2008 para algo entre US$ 2,11 e US$ 2,13, de estimativa anterior que ficava entre US$ 2,09 e US$ 2,13.

Entre os papéis do setor financeiro, Fannie Mae subiu 0,67% e Freddie Mac teve alta de 0,67% no pré-mercado. Os ganhos de ambas, cujos destinos passam pelas mãos do Senado hoje, foram maiores mais cedo. As informações são da Dow Jones e de agências internacionais.

Leia tudo sobre: wall street

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG