Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bolsas de NY abrem em baixa, de olho na agenda do dia

As Bolsas de Nova York abriram em baixa nesta segunda-feira, enquanto os investidores absorvem os resultados mistos da Sexta-feira Negra - que tradicionalmente abre a temporada de compras de fim de ano nos Estados Unidos - e a possibilidade de que indicadores econômicos fracos ao longo desta semana estimulem a venda de ações, depois da valorização registrada na semana passada. Às 12h30 (de Brasília), o índice Dow Jones recuava 1,73%, o Nasdaq 100 caía 2,65% e o S&P 500 cedia 1,78%.

Agência Estado |

A Federação Nacional de Varejo dos EUA estima que os consumidores gastaram 7,2% a mais nos três dias após o feriado de Ação de Graças, na última quinta-feira (dia 27), do que o registrado em igual período do ano passado, mas outra pesquisa mostrou que 70% deles compraram apenas mercadorias de valores baixos.

"Do ponto de vista porcentual, só a alta registrada em relação ao ano passado já pegou muita gente de surpresa", disse o analista de estratégias de investimento Sam Stovall, da Standard & Poor's. "A verdadeira questão é que os analistas de varejo e investidores acreditam que esses resultados sejam fugazes e não sustentáveis."

Stovall também atribuiu a queda dos índices futuros em Nova York a um movimento de realização de lucros por parte de investidores. "Os investidores estão dizendo que, nesses tempos de turbulência, é melhor embolsar o ganho que aparece", disse ele, acrescentando que a possibilidade de indicadores ruins ao longo da semana serve de estímulo para isso.

Na agenda do dia, o principal destaque é o índice de atividade industrial do Instituto para Gestão de Oferta (ISM), para o qual economistas do Bank of America esperam o pior resultado desde maio de 1982. O dado será anunciado às 13h (de Brasília). Também hoje, discursam o presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA), Ben Bernanke, e o Secretário do Tesouro norte-americano, Henry Paulson.

Ações

Entre as empresas, destaque para a montadora General Motors (GM), cujos executivos estudam a possibilidade de que os detentores de bônus da montadora troquem seus títulos por ações, entre as opções que a empresa considera para enfrentar a crise. As ações da GM caíram mais de 3% no pré-mercado em Nova York.

Yahoo subia 3,6%, após o jornal Sunday Times ter informado que a Microsoft está oferecendo US$ 20 bilhões pelas operações de busca do grupo. O blog All Things Digital, citando fontes, disse no entanto que esse acordo é "uma ficção total".

No setor aéreo, Delta Air Lines recuava 2,9%. Segundo o jornal Wall Street Journal, a companhia está integrando sua frota com a da recentemente adquirida Northwest Airlines e, por causa disso, planeja alterar significativamente as encomendas de aviões da Boeing que ambas haviam feito antes de se fundirem. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: wall street

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG