As Bolsas de Nova York abriram em baixa hoje, mesmo após dos Estados Unidos ter anunciado um aporte de até US$ 85 bilhões à seguradora AIG. Às 10h35 (de Brasília), o índice Dow Jones recuava 1,76%, o Nasdaq 100 cedia 1,78% e o S&P 500 tinha queda de 2,01%.

"Há um problema sistêmico no mundo financeiro", disse o estrategista Tim Brunne, do Unicredit. Segundo ele, por causa dos colapsos no setor financeiro esta semana, os bancos, seguradoras, fundos e as instituições financeiras não reguladas terão de absorver perdas adicionais.

No pré-mercado em Wall Street, as ações da AIG caíram 42%. O jornal americano Wall Street Journal informou que o executivo-chefe da seguradora, Robert Willumstad, será substituído pelo ex-executivo-chefe da Allstate, Edward Liddy, depois que o governo dos EUA ficou com uma fatia de 79,9% no grupo, em troca da ajuda oferecida. O banco britânico Barclays avançava 2,42% no pré-mercado, após afirmar que vai pagar US$ 1,75 bilhão pelas operações de banco de investimento Lehman Brothers na América do Norte.

Outro destaque do setor era o Morgan Stanley, cujos papéis recuavam 17%. O banco de investimentos antecipou de hoje para ontem a divulgação de seu balanço trimestral, que apontou queda de 7% do lucro líquido. Em uma ilustração da natureza do contágio da crise em Wall Street, a CNBC informou que a equipe administrativa do Morgan está estudando se continuará independente, tendo em vista a turbulência atual.

Fora do setor financeiro, SanDisk disparava 50%, depois de ter recusado uma oferta de US$ 5,85 bilhões feita pela Samsung Electronics. Nortel, que reduziu previsão de receita, despencava 12%. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.