SÃO PAULO - As preocupações dos investidores com o setor bancário voltaram se destacar nesta jornada, levando as bolsas de Nova York a uma baixa significativa após três sessões consecutivas de valorização. A falência de um banco no Kansas e previsões piores para a AIG justificaram o estresse.

O Dow Jones Industrial registrou queda de 2,08%, para 11.386 pontos. O Standard & Poor´s 500 declinou 1,96% e fechou aos 1.266 pontos. O eletrônico Nasdaq encerrou com 2.365 pontos, em baixa de 2,03%.

A seguradora AIG liderou as perdas do pregão ao apontar queda de 5,49% (US$ 18,78). Analistas do Credit Suisse reduziram as estimativas para o resultado da gigante no terceiro trimestre deste ano, que poderia reportar perdas contábeis de 2,4 bilhões no período.

Para completar o cenário de cautela, os agentes foram notificados de que o Columbian Bank & Trust, banco de Kansas, encerrou suas atividades na última sexta-feira, devido aos efeitos da crise do setor financeiro, especialmente hipotecário, no país. A instituição tem ativos de US$ 752 milhões e depósitos de US$ 662 milhões.

Os analistas destacam que o desconforto dos investidores é grande por conta da persistente falta de clareza sobre quanto mais pode haver de prejuízos relacionados à crise financeira iniciada no ano passado.

O Morgan Stanley também reduziu as previsões para o índice S & P 500, justificando a decisão com possibilidade de prejuízos adicionais por parte do setor bancários americano, além da fraqueza da economia americana, que pode afetar o resultado também dos papéis de tecnologia e de indústrias.

Também declinaram os papéis do KBW Bank, que cederam 3,23% (US$ 30,60), do Washington Mutual, cuja baixa foi de 6,01% (US$ 3,60) e os do Huntington Bancshares declinaram 6,79% (US$ 7)
(Valor Online, com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.