Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bolsas de Nova York vivem dia de rali na espera por pacotes

SÃO PAULO - Os dados americanos de emprego pioraram, mas pela primeira vez desde o agravamento da crise a notícia despertou esperança e não tensão. Os agentes avaliam que a gravidade do indicador funcione como um elemento de pressão para que o congresso dos Estados Unidos aprove com rapidez não só o plano de incentivo fiscal, que está em andamento no senado, como o novo pacote de resgate do setor bancário, que será anunciado pelo tesouro na próxima segunda-feira.

Valor Online |

O Dow Jones fechou com aumento de 2,70%, aos 8.280 pontos. O Standard & Poor's 500 avançou 2,69%, para 868 pontos, e o eletrônico Nasdaq encerrou com 1.591 pontos, em alta de 2,94%.

Os dados do Departamento de Trabalho dos EUA mostraram que o número de vagas eliminadas em janeiro nos Estados Unidos foi o mais expressivo desde o fim de 1974, com 598 mil postos a menos. A taxa de desemprego foi a 7,6% no primeiro mês de 2009, a mais alta desde setembro de 1992.

Espera-se que o pacote de estímulo fiscal, que pode chegar a quase US$ 1 trilhão, seja aprovado ainda hoje pelo senado dos EUA. Essa expectativa ganhou corpo justamente após o indicador de emprego apontar aprofundamento da crise econômica no primeiro mês deste ano.

O avanço foi mais expressivo entre ações do setor financeiro, que ganharam atrativos após o Tesouro confirmar que deve anunciar o novo plano de recuperação do setor, com expurgo de ativos tóxicos das instituições afetadas pela crise. O anúncio é aguardado para segunda-feira.

As ações do Bank of America subiram 25,62% (US$ 6,08) e as do JP Morgan ganharam 5,21% (US$ 21,39). Os papéis do Bancorp tiveram alta de 8,01% (US$ 16,19) e os do State Street avançaram 10,71% (US$ 30,49).

Leia tudo sobre: bolsa de valores

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG