Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bolsas de Nova York têm pregão fraco e fecham em queda

SÃO PAULO - Os principais indicadores acionários de Wall Street começaram a última semana de 2008 em queda. O fracasso de uma possível joint venture entre a Dow Chemical e o governo do Kuwait influenciou negativamente o mercado.

Valor Online |

De qualquer modo, o pregão foi esvaziado. As festas de fim de ano deixam parte dos investidores de fora e os que se mantêm ficam cautelosos para tomar posições com um feriado à frente.

O Dow Jones, principal indicador da Bolsa de Nova York, recuou 0,4% para 8.483,93 pontos. O Standard & Poor´s 500 também perdeu 0,4%, a 869,42 pontos. O Nasdaq Composite fechou em queda de 1,3%, para 1.510,32 pontos.

No domingo, o governo do Kuwait descartou formar uma joint venture de US$ 17,4 bilhões com a Dow Chemical, alegando que a operação era "muito arriscada" à luz da crise global e da queda dos preços do petróleo. A participação do Kuwait no negócio seria de US$ 7,5 bilhões e a Dow Chemical esperava o dinheiro para financiar a compra da Rohm & Haas, anunciada em julho por US$ 15,4 bilhões.

As ações da Dow Chemical fecharam em queda de 17,2% e influenciaram a baixa de 2% da congênere DuPont. As da Rohm & Haas caíram 16,1%.

Animadas pela valorização do petróleo, as ações de empresas do setor estiveram entre as poucas altas do dia. Exxon Mobil ganhou 1% e a Chevron avançou 1,7%, depois de o barril do petróleo ultrapassar US$ 40 na bolsa de Nova York.

O mesmo movimento, porém, prejudicou os papéis de setores como o financeiro, automobilístico e outros que dependem do otimismo do consumidor. General Motors perdeu 1,6% e Ford caiu 3,1%. Entre os bancos, Citigroup recuou 2,4%.

(Valor Online com agências internacionais)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG