Tamanho do texto

SÃO PAULO - O movimento de recuperação no mercado acionário americano foi expressivo nesta sessão. A trajetória de alta já tinha começado ontem com rumores e consolidou-se hoje com a confirmação de que o governo norte-americano tem um plano de centenas de bilhões para colocar fim à crise do sistema financeiro que apavorou os investidores nesta semana.

O Índice Dow Jones fechou com alta de 3,35%, aos 11.388 pontos. O Standard & Poor´s 500 encerrou com ganho de 4,02%, para 1.255 pontos. O eletrônico Nasdaq terminou aos 2.273 pontos, com alta de 3,40%.

O presidente George W. Bush e o secretário do Tesouro, Henry Paulson vieram a público hoje informar que está em planejamento a criação de uma companhia que vai comprar e concentrar os papéis podres do sistema financeiro a fim de estancar a crise em andamento. Sem detalhar o plano, Paulson falou em centenas de bilhões de dólares com uso de recursos de contribuintes.

Também tiveram efeito para os negócios o fato de a Securities and Exchange Commission (SEC, a comissão mobiliária dos EUA) ter proibido temporariamente a venda a descoberto de 799 ações do setor financeiro, a fim de "proteger a integridade e a qualidade do mercado de títulos e fortalecer a confiança do investidor". A autoridade financeira do Reino Unido havia tomado a mesma medida na quinta-feira.

As ações da AIG, cujo controle agora é do Federal Reserve, fecharam com alta de 43,12% (US$ 3,85) e as do Citigroup ganharam 24,02% (US$ 20,65). Os papéis do Bank of America fecharam com elevação de 22,56% (US$ 37,48) e os do Lehman Brothers, que entrou em concordata, viu suas ações avançarem 313,65% (US$ 0,22).

Também fecharam com alta relevante as ações do Goldman Sachs, que subiram 20,19% (US$ 129,80) e do Morgan Stanley, que avançaram 20,67% (US$ 27,21). No setor produtivo da economia, as ações da GM subiram 14,74% (US$ 13,08)
"(Valor Online, com agências Internacionais)"

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.