Tamanho do texto

SÃO PAULO - As preocupações com a economia real e com empresas americanas sobrepujaram a notícia positiva do pacote chinês de estímulo econômico, de US$ 586 bilhões. Os agentes estão muito tensos com a situação da General Motors (GM) e da seguradora AIG, que teve prejuízo recorde e terá ajuda adicional do governo americano.

O Dow Jones caiu 0,82%, para 8,870 pontos. O Standard & Poor´s 500 cedeu 1,27%, aos 919 pontos. O eletrônico Nasdaq fechou aos 1.616 pontos, em queda de 1,86%.

A avaliação dos agentes é de que embora o pacote de estímulo de crescimento na China seja relevante e positivo, a decisão em si tem pouco efeito para a economia americana, apenas para empresas com operações no país asiático.

O fato de a AIG precisar de recursos adicionais do governo para sustentar operações e de que as montadoras também sinalizam esgotamento diante da situação econômica nos EUA faz com que os investidores tenham uma visão ainda muito pessimista sobre as condições futuras da economia. Essa percepção não torna os investidores suficientemente confiantes para se manterem comprados ou retornarem ao mercado de ações.

Os papéis da AIG fecharam com ganho de 8,06% (US$ 2,28) após governo sinalizar mais ajuda à seguradora. A empresa divulgou prejuízo de mais de US$ 24 bilhões no terceiro trimestre deste ano.

As ações da GM cederam 22,94% (US$ 3,36) após o Deutsche Bank avaliar que as ações da montadora podem ir a zero e que a GM talvez não tenha recursos para atravessar dezembro sem ajuda financeira do governo americano. A recomendação do banco para as ações da companhia foi revisada de "manter" para "vender".

(Valor Online, com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.