Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bolsas de Nova York abrem pregão em alta

Os índices futuros das Bolsas de Nova York apontaram abertura em alta do pregão regular, em meio a uma série de medidas de corte de custos da FedEx e de notícias na mídia de que o presidente eleito dos EUA, Barack Obama, prepara um pacote de estímulo econômico de US$ 850 bilhões. Mas o avanço pode ser contido por expectativas negativas da Ingersoll-Rand e da Alliant Energy Corp.

Agência Estado |

O volume cada vez mais fraco por causa da proximidade do final do ano pode trazer mais volatilidade.

O índice Dow Jones da Bolsa de Nova York abriu o pregão regular em alta e avançava 0,37% a 8.856 pontos, às 12h35. O Nasdaq também abriu em alta e ganhava 0,37% a 1,585 pontos. O S&P 500 subia 0,48% a 908 pontos.

Os investidores também digerem a notícia de que General Motors e Chrysler reabriram as negociações de fusão. No âmbito macroeconômico, relatório mostrou queda praticamente em linha com o previsto nos pedidos de auxílio-desemprego nos EUA na semana passada. O mercado aguarda agora o índice de atividade do Federal Reserve da Filadélfia.

"Eu acredito que estamos em uma fase do mercado de 'esperar para ver'", comentou o economista David Resler, da Nomura Securities. "Temos os feriados (de final de ano) chegando, e isso é sempre uma grande distração, e temos um mercado ainda sem clareza sobre a perspectiva."

Segundo notícias de agências internacionais, o presidente eleito Barack Obama está preparando as bases de um gigantesco pacote de estímulo econômico, possivelmente de US$ 850 bilhões, para dois anos. O pacote deve ser apresentado ao Congresso, seu primeiro teste de negociação com o Legislativo.

A FedEx informou que congelou as contratações e está reduzindo empregos, entre uma série de ações que devem eliminar mais de US$ 1 bilhão de despesas no ano fiscal 2009. A empresa também está reduzindo o salário do presidente-executivo, Frederick W. Smith, e de outros executivos. A FedEx informou ter registrado lucro líquido de US$ 493 milhões, ou US$ 1,58 por ação, no trimestre encerrado em 30 de novembro, de US$ 1,54 por ação no mesmo período do ano passado. No pré-mercado, as ações subiam 3,2%.

A General Motors e a Chrysler reabriram negociações sobre uma possível fusão, já que o controlador da Chrysler, a Cerberus Capital Management LP, sinalizou que está disposto a abrir mão de parte de sua fatia na fabricante de automóveis, disseram fontes próximas do assunto.

A Ingersoll-Rand, que faz produtos para uso industrial e comercial, como resfriadores de bebidas e freezers, reduziu sua projeção para o quarto trimestre por causa da queda na demanda em meio à recessão. No pré-mercado, as ações recuaram 3,2%.

A Alliant Energy Corp., por sua vez, disse que seu lucro deste ano poderá ficar abaixo das expectativas, uma vez que a empresa, que deve aumentar seu dividendo em 7,1% no próximo ano, lida com redução na demanda por energia. As informações são da Dow Jones e de agências internacionais.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG