SÃO PAULO - A maioria das principais bolsas européias voltou a fechar em tom negativo, embora em proporção mais suave do que nos últimos dias, mas em Frankfurt foi possível até uma ligeira alta. Ações coordenadas dos bancos centrais para injetar liquidez nos mercados globais e evitar quebras generalizadas de bancos não foram suficientes hoje para acalmar os investidores.

Em Londres, o FTSE-100 fechou com queda de 0,66%, para 4.880 pontos. O CAC 40, de Paris cedeu 1,06%, para 3.957 pontos. Em Frankfurt, o DAX fechou aos 5.832 pontos, com pequena alta de 0,04%.

Entre os bancos e financeiras da região, se destacaram os papéis do HBOS, que subiram 17,34% após acordo de resgate por parte do Lloyds TSB, cujas ações encerraram com queda de 15,10%, ambas em Londres.

Hoje o Banco Central Europeu (BCE), o Banco do Japão, o Banco da Inglaterra, o Banco do Canadá e o Banco Nacional da Suíça anunciaram trabalho conjunto no monitoramento e na tomada de medidas para lidar com as pressões atuais. Estima-se que haveria um plano de injeção de US$ 247 bilhões no sistema financeiro, mas os agentes ponderam que a ação pode não ser suficiente.

As ações do Barclays se recuperaram 5,3% após aumento de capital de US$ 1,3 bilhão na venda de ações. Em Paris as ações da Air France caíram 3,1% e as da Lufthansa cederam 3,2%. Os papéis do British Airways cederam 11% após dados da Associação Internacional de Transporte Aéreo informar desaceleração no número de passageiros em julho e baixa em assentos de primeira classe e classe executiva.

"(Valor Online, com agências internacionais)"

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.