SÃO PAULO - As bolsas européias encerraram com rumos divergentes nesta sessão. Os investidores ponderaram os comentários do presidente do do Banco Central Europeu, Jean-Claude Trichet, de que o ritmo de crescimento da economia da região vai se desacelerar, além da elevação dos pedidos de seguro desemprego nos Estados Unidos, a maior em seis anos, o que reforça a percepção de fraqueza da economia dos EUA.

Em Londres, o FTSE-100 fechou com queda de 0,16%, aos 5.477 pontos. O DAX, de Frankfurt, encerrou com recuo de 0,27%, aos 6.543 pontos. Já em Paris, o CAC 40 avançou 0,20%, para 4.457 pontos.

A avaliação de Trichet, após a decisão de manter o juro na Europa em 4,25% ao ano, é de que o crescimento na região vai ser particularmente fraco no segundo e no terceiro trimestres deste ano.

Ao mesmo tempo, o mercado de ações europeu sofreu influência negativa do indicador semanal de solicitações de seguro desemprego nos Estados Unidos, que aumentou em 7 mil pedidos na semana encerrada em 2 de agosto, a maior taxa desde março de 2002. O indicador acentua a avaliação dos analistas de desaceleração da economia americana, principal mercado das empresas exportadoras européias.

A baixa na região só não foi mais acentuada devido ao indicador de revendas de casas nos EUA, que surpreendeu o mercado ao apontar um aumento em junho.

No âmbito corporativo, o resultado do banco Barclays agradou os investidores e as ações subiram 1,63%.

O recuo do lucro no primeiro semestre, de 35%, foi menor do que o esperado. O ganho do banco somou 1,72 bilhão de libras (US$ 3,35 bilhões) de janeiro a junho, abaixo dos 2,63 bilhões verificados um ano antes.

Em Paris, a valorização da bolsa foi garantida pelo desempenho positivo das ações da seguradora Axa, que avançaram 4,81% após a empresa divulgar lucro líquido 32% menor, para 2,16 bilhões de euros. O ganho, no entanto, ficou acima das projeções de mercado, de 1,95 bilhão de euros para o período.

Já na bolsa alemã, a seguradora Allianz viu seus papéis caírem 1,02% após uma queda de 28% no lucro líquido do segundo trimestre deste ano em comparação com o mesmo intervalo do ano passado.

(Valor Online, com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.