Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bolsas da Europa terminam o dia com ganhos

As principais bolsas européias fecharam com alta pelo terceiro dia consecutivo, sustentadas pela expectativa de que, após o corte de 0,50 ponto porcentual da taxa básica de juros da economia dos EUA, o Banco Central Europeu (BCE) e o Banco da Inglaterra (BOE) seguirão o Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA) e também reduzirão suas taxas na próxima semana. Contudo, apesar do fechamento positivo, as bolsas devolveram parte dos ganhos no final por conta da preocupação com a desaceleração da economia mundial.

Agência Estado |

Em Londres, as mineradoras foram ajudadas pela expectativa de que os bancos centrais tomarão medidas para estimular a economia, o que melhora a perspectiva para a demanda dessas empresas. Em Frankfurt e Paris, as ações do setor financeiro puxaram as altas.

Analistas acreditam que a Europa pode ver um novo corte nas taxas de juros em breve. Aurelio Maccario, economista-chefe para a zona do euro do UniCredit Markets & Investment Banking, disse que o BCE precisa fazer um corte substancial e rápido nos juros para impedir que a economia tenha uma retração severa em 2009. "A situação é séria e exige uma resposta pronta e forte", disse.

Mike Lenhoff, estrategista-chefe da consultoria Brewin Dolphin, disse que os balanços das empresas são decepcionantes na maioria dos setores, mas os fracos resultados do terceiro trimestre se devem em larga medida aos setores financeiro e de consumo, em que os lucros têm sido bem menores que o esperado. Dadas as dificuldades para a economia mundial no futuro, Lenhoff acredita que a "recessão dos lucros" vai se estender por um período de tempo mais longo.

Londres

Em Londres, o índice FTSE 100 fechou com alta de 49,11 pontos, ou 1,16%, a 4.291,65 pontos, liderado pelas mineradoras. As exploradoras de cobre Vedanta Resources e Kazakhmys subiram 15,75% e 12,20%, respectivamente. Xstrata ganhou 8,23% e Anglo American avançou 4,28%, BHP Billiton subiu 5,00% e Rio Rinto ganhou 3,32%. A exploradora de petróleo Cairn Energy subiu 15,2%. As ações da Royal Dutch Shell caíram 4,1%, apesar de a empresa ter anunciado aumento de 22% no lucro do terceiro trimestre. As ações da British Petroleum perderam 2,2%.

Frankfurt

Em Frankfurt, o índice DAX subiu 60,61 pontos, ou 1,26%, para 4.869,30 pontos. Deutsche Bank subiu 17,74%. O banco informou queda de 73% no lucro do terceiro trimestre, um resultado melhor que o esperado pelos analistas. Commerzbank subiu 22,73%. Volkswagen recuou 3,29%.

Paris

Em Paris, o índice CAC-40 fechou com alta de 5,25 pontos, ou 0,15%, em 3.407,82 pontos. A bolsa subiu influenciada pelo corte na taxa de juros dos EUA e com a expectativa de mais cortes de juros na Europa, mas reduziu os ganhos depois que os índices norte-americanos abriram mais fracos que o esperado. O CAC-40 reduziu a alta de maneira mais acentuada que os outros índices europeus por conta das ações ligadas ao setor de petróleo, com as da petrolífera Total, que perderam 4%. Os papéis da empresa de telecomunicações Alcatel-Lucent fecharam com alta de 20% depois que a empresa assegurou estar financeiramente segura. Credit Agricole subiu 11,92%. Société Générale avançou 9,75%.

Madri

Em Madri, o índice Ibex-35 fechou com alta de 172,80 pontos, ou 2,00%, em 8.822,90 pontos. Santander subiu 3,7%, BBVA avançou 4,2%. IBR Renováveis subiu 8,64%, Repsol avançou 1,18%.

Lisboa

Em Lisboa, o índice PSI-20 fechou com alta de 0,50%, em 6.254,92 pontos, em linha com o sentimento positivo na maioria dos mercados europeus. O varejista Jeronimo Martins liderou os ganhos, com +7,8%, após balanço melhor que o esperado no terceiro trimestre. EDP Renováveis fechou com alta de 5,94% e Galp Energia subiu 1,78%. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG