As principais bolsas européias fecharam em baixa pressionadas pelas perdas das ações de empresas do setor de mineração e automóveis e diante da piora na perspectiva para as economias do Reino Unido e zona do euro. No Reino Unido, as vendas no varejo registraram a maior queda mensal desde o início do acompanhamento do indicador, em 1986.

O economista David Page, do Investec, disse que o indicador reforça a fragilidade da economia britânica. "Achamos que a economia se encontra à beira da recessão", disse.

Também nesta manhã, o Instituto Ifo da Alemanha informou que o índice de sentimento empresarial caiu pelo quarto mês consecutivo. Os resultados do índice - baseado na pesquisa junto a 7 mil empresas do setor industrial, construção, atacado e varejo - mostraram o impacto negativo do euro forte e dos preços elevados do petróleo na maior economia da Europa.

Em Londres, o índice FT-100 caiu 1,61% e fechou com 5.362,3 pontos; em Paris, o índice CAC-40 recuou 1,38% e fechou com 4.347,99 pontos; em Frankfurt, o índice Xetra-Dax caiu 1,46% e encerrou com 6.440,70 pontos. Em Milão, o índice S&P/MIB caiu 0,61% e fechou com 28.665 pontos; em Madri, o índice Ibex-35 recuou 2,18%, para 11.675,10 pontos; em Lisboa, o índice PSI-20 caiu 1,51% e fechou com 8.644,46 pontos.

Montadoras

Entre as montadoras européias, as ações da Daimler lideraram as perdas, com uma queda de 9,61%, depois de a gigante alemã ter emitido um alerta de lucro para o ano, citando a escalada dos preços das matérias-primas, tais como aço e petróleo, assim como o vigor do euro em relação ao dólar. O alerta da Daimler pesou sobre as ações de outras montadoras: Renault cedeu 3,35% e Volkswagen caiu 2,75%.

Matérias-primas

As ações de empresas de mineração e petróleo também registraram perdas acentuadas, que pesaram especialmente sobre o índice londrino. As ações da Eurasian Natural Resources caíram 6,50%, enquanto as da Royal Dutch Shell recuaram 1,97%. As ações da companhia de eletricidade espanhola Iberdrola fecharam em baixa de 4,52% após a divulgação do seu resultado semestral. A maior companhia geradora de energia eólica anunciou um aumento de 78% no lucro do primeiro semestre que, no entanto, ficou abaixo do esperado pelos analistas.

Bancos

No setor financeiro, o Credit Suisse anunciou uma queda de 62% no seu lucro líquido no segundo trimestre, mesmo assim o resultado ficou acima das expectativas do mercado por causa de um forte fluxo de fundos para seu negócios de administração de riqueza e baixas contábeis relativamente pequenas. Na Bolsa de Zurique, as ações do Credit Suisse subiram 5,31%.

As notícias do Credit Suisse também coincidiram com o relatório do Morgan Stanley elevando sua posição nos bancos europeus. O Morgan disse que ainda está pessimista sobre muitos fundamentos e que os problemas estruturais permanecem. Contudo, o banco norte-americano disse que o arrefecimento nos preços das commodities deve ajudar o setor. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.