SÃO PAULO - As bolsas europeias mudaram de direção depois de informações sobre a atividade manufatureira nos Estados Unidos. Em mãos, os agentes têm ainda dados sobre a situação do emprego nos EUA e na zona do euro.

Os investidores ficaram sabendo hoje que o setor privado não-agrícola dos Estados Unidos eliminou 742 mil postos de trabalho entre fevereiro e março, em uma base ajustada sazonalmente, conforme a ADP, empresa que processa as folhas de pagamentos dos EUA.

Além disso, a agência oficial Eurostat divulgou que a taxa de desemprego na zona do euro subiu de 8,3% em janeiro para 8,5% em fevereiro. O resultado foi mais um sinal do grau de dificuldades econômicas que a região enfrenta.

Outro indicador que lançou preocupações no mercado neste pregão foi a queda de 0,2% nas vendas do varejo da Alemanha na passagem de janeiro para fevereiro, sendo que no primeiro mês já tinham apresentado recuo de 0,9%.

Em Londres, o FTSE-100 subia 0,83%, para 3.958,92 pontos. O CAC-40, de Paris, registrava avanço de 0,36%, ficando em 2.817,35 pontos. Em Frankfurt, o DAX aumentava 0,75%, aos 4.115,31 pontos.

(Vanessa Dezem | Valor Online, com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.