Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bolsas da Europa recuam com desemprego nos EUA

As bolsas europeias cederam nesta sexta-feira pela terceira sessão consecutiva e encerraram a primeira semana cheia de 2009 em baixa com os temores relacionados à crise econômica reforçados pelos dados sobre desemprego nos Estados Unidos. Os índices de ações tiveram uma recuperação logo após a divulgação dos dados, mas voltaram a ceder.

Agência Estado |

Petroleiras, mineradoras e bancos estiveram entre os piores desempenhos do dia.

O Departamento de Trabalho dos EUA mostrou corte de 524 mil vagas em dezembro, número em linha com a expectativa do mercado, mas menor do que as cerca de 700 mil vagas que a Pesquisa Nacional de Emprego da ADP/Macroeconomic Advisers apontava na quarta-feira, o que deu suporte momentâneo às bolsas. A taxa de desemprego, contudo, ficou acima do esperado, em 7,2% e o número de vagas cortadas em 2008 - 2,6 milhões - foi o pior desde 1945. Depois que o mercado absorveu o desastre, as ações voltaram a cair.

"Os dados de hoje confirmaram que a recessão está completamente estabelecida nos EUA", comentaram economistas do Austria Erste Group. "Investidores institucionais decidiram realizar lucros e vender ativos considerados mais arriscados diante do enfraquecimento da economia", disseram estrategistas da State Street Global Markets, a respeito da queda dos índices europeus.

Em Londres, o FTSE-100 fechou com queda de 56,83 pontos, ou 1,26%, para 4.448,54 pontos. Na semana, o índice acumulou recuo de 2,49%. Destaque de baixa para as mineradoras Anglo American (8,19%), Xstrata (6,64%) e Rio Tinto (5,78%). British Petroleum recuou 2,40%.

Na Bolsa de Frankfurt, o índice DAX fechou com queda de 96,02 pontos, ou 1,97%, aos 4.783,89 pontos. Na semana, houve recuo de 3,81%. Instituições financeiras lideraram as perdas. As ações do Commerzbank, que receberá injeção de US$ 13,7 bilhões do governo alemão, caíram 11,5%. Os recursos serão usados para a compra do Dresdner Bank, da Allianz, cujas ações subiram 6,19%. Deutsche Postbank recuou 4,59%. O banco informou que deve registrar perdas "significativas" no balanço de 2008. Deutsche Bank recuou 5,78%. Volkswagen perdeu 5,02%.

Em Paris, o CAC-40 cedeu 24,83 pontos, ou 0,75%, para fechar em 3.299,50 pontos. Na semana, o índice perdeu 1,50%. GDF Suez recuou 2,32% e Alcatel cedeu 2,59% depois que o Morgan Stanley cortou o rating da companhia de overweight (acima da média do mercado) para equalweight (na média do mercado).

O índice Ibex-35 da Bolsa de Madri recuou 91 pontos, ou 0,96%, aos 9.378,50 pontos. Na semana, a queda foi de 1,14%. A seguradora Mapfre recuou 2,31% e no setor de energia a Iberdrola teve baixa de 3,10%.

Em Lisboa, o índice PSI-20 recuou 15,15 pontos, ou 0,23%, aos 6.592,21 pontos. A bolsa lisboeta destoou das demais europeias e teve um saldo semanal positivo: subiu 2,56%. Banco BPI recuou hoje 1,23%. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: bolsa de valores

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG