Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bolsas da Europa fecham em forte alta após pacotes

As principais bolsas européias terminaram o dia em forte alta, após encerrarem a semana passada com perda acumulada de 20%, com investidores comemorando os sinais de que os líderes mundiais estão prontos para proteger o setor financeiro da crise mundial de aperto no crédito, segundo corretores. Mais cedo, a chanceler alemã, Angela Merkel, anunciou um pacote nacional de auxílio de 500 bilhões de euros (US$ 675 bilhões), enquanto o presidente da França, Nicolas Sarkozy, afirmou que apenas a instituição pública pode restaurar a confiança nos mercados e divulgou um plano de 360 bilhões de euros (US$ 486 bilhões) para o setor financeiro do país.

Agência Estado |

"Ninguém pode esperar que qualquer uma dessas medidas possa evitar a recessão. As forças da contração econômica já estão em movimento há muito tempo devido à crise de crédito", disse Mike Lenhoff, estrategista-chefe da Brewin Dolphin Securities em Londres. "Mas a intenção por trás da introdução das ações coordenadas e, em grande parte, a resposta uniforme têm como objetivo restaurar a confiança e prevenir que a recessão se transforme em algo muito pior."

De acordo com um operador de Paris, "os investidores agora estão pensando que a Europa é ainda mais ambiciosa do que os EUA", mas os ganhos registrados hoje nas bolsas européias devem ser vistos também como parte do contexto de queda da semana passada.

No Reino Unido, por outro lado, as autoridades confirmaram o investimento de 37 bilhões de libras esterlinas (US$ 64 bilhões) no Royal Bank of Scotland (RBS), no Lloyds TSB e no HBOS para elevar o capital dessas instituições. O Barclays, outro banco britânico, disse que não pegará dinheiro do governo, mas pretende levantar 6,5 bilhões de libras por meio de uma oferta de ações e do gerenciamento da folha de balanço. Em Londres, o RBS subiu 8,37% e o Barclays, 3,73%. O HBOS caiu 27,54% e o Lloyds TSB, 14,47%.

"Os bancos agora podem estar mais seguros do que foram por um certo tempo, mas uma grande parte do preço das ações de qualquer companhia é baseado nas expectativas de crescimento no futuro. Esse crescimento agora parece estar limitado por muitas razões", disse David Evans, analista de mercado da BetOnMarkets.com.

Londres

Em Londres, o índice FTSE 100 subiu 280,80 pontos, ou 7,14%, para 4.212,90 pontos. As ações de mineradoras terminaram em alta, com Kazakhmys subindo 22,12%, Rio Tinto ganhando 15,39%, BHP Billiton avançando 9,06% e Xstrata, 12,92%.

Paris

O índice CAC-40, da Bolsa de Paris, fechou em alta de 355 pontos, ou 11,18%, a 3.531,50 pontos. O Société Générale recuou 2%, após negar rumores de que precisaria levantar capital devido a perdas financeiras em uma de suas unidades. A Gdf Suez subiu 25,01% e a Arcelor Mittal, 19,67%.

Frankfurt

Em Frankfurt, o índice DAX terminou em alta de 518,14 pontos, ou 11,40%, a 5.062,45 pontos. De acordo com operadores, o pacote alemão superou as expectativas do mercado e incentivou as compras. As ações das empresas financeiras lideraram os ganhos. A Hypo Real Estate subiu 39,95%, o Commerzbank, 14,79%, Allianz, 13,98% e o Deutsche Bank, 12,09%.

Madri

O índice Ibex-35, da Bolsa de Madrid, avançou 958 pontos, ou 10,65%, para 9.955,70 pontos. A Iberdrola subiu 18,80%. O Santander registrou aumento de 12,35% após divulgar que está negociando a aquisição do Sovereign Bancorp. A Telefónica teve alta de 9,57% após reiterar as estimativas de resultados e acelerar os planos de recompra de ações. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG