Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bolsas da Europa fecham em baixa pelo 3º dia seguido

As principais bolsas européias fecharam em baixa hoje, pelo terceiro dia seguido, influenciadas negativamente por um alerta da fabricante de aparelhos celulares Nokia e pela contínua preocupação dos investidores com a desaceleração da economia global, depois da divulgação de dados piores do que o esperado sobre o mercado de trabalho americano. Na Bolsa de Estocolmo, na Suécia , a Nokia caiu 9,6%, depois de afirmar que sua participação de mercado no terceiro trimestre deste ano será menor do que o nível de 40% previsto em julho, o mesmo patamar registrado no segundo trimestre de 2008.

Agência Estado |

A companhia também estima que o mercado global de aparelhos celulares será afetado este ano pela diminuição da confiança do consumidor. Prejudicada pela Nokia, Ericsson cedeu 5%.

No Reino Unido, a Bolsa de Londres fechou em queda de 2,26%, para 5.240 pontos. Os bancos Royal Bank of Scotland e Barclays lideraram as quedas, perdendo 3,5% e 3,6%, respectivamente, em meio às preocupações com a saúde do setor bancário americano e da economia dos Estados Unidos. Outros bancos também terminaram o dia no vermelho, como Lloyds (-2,5%) e HBOS (-2,5%). A queda dos preços dos metais derrubou as ações do setor de mineração. A Antofagasta caiu 7% e a Eurasian Natural Resources cedeu 7,6%.

A Bolsa de Frankfurt, na Alemanha, fechou em baixa de 2,42%, para 6.127,44 pontos. As ações da MAN recuaram 4,5%, as da ThyssenKrupp, 5,1%, e as da Daimler, 3,1%. A única ação do índice que fechou em alta, de 1,7%, foi a do Deutsche Postbank, sustentadas por rumores de uma oferta de compra lançada pelo banco alemão Deutsche Bank. O setor de resseguros está no foco das atenções por causa de uma conferência na próxima semana, na qual executivos vão discutir o impacto do furacão Gustav e a crise financeira.

Na França, o índice da Bolsa de Paris fechou em baixa de 2,49%, a 4.196,66 pontos. "Todo mundo está em pânico", disse um operador. As ações da franco-italiana STMicroelectronics perderam 5,6% depois que o banco suíço UBS rebaixou a recomendação para as ações da fabricante de chips de neutra para venda. No setor de energia, a GDF Suez afirmou que está negociando a compra de um pacote de ativos da gás na Holanda. As ações da companhia fecharam em baixa de 3%. No setor financeiro, o banco de investimento Lehman Brothers rebaixou a recomendação do francês Société Générale, que caiu 2,4%, e a do Natixis, com queda de 4,5%. Ontem os bancos já haviam fechado em queda, após o Banco Central Europeu (BCE) ter detalhado mudanças que pretende fazer nas regras de garantia para suas operações de liquidez.

Em Milão, na Itália, o índice S&P/MIB caiu 2,36%, para 27.567 pontos. Um operador disse que os investidores estão preocupados com uma possível rodada de alertas de lucro. Telecom Itália fechou em baixa de 3%.

Na Bolsa de Madri, na Espanha, o índice Ibex-35 recuou 2,97% e fechou a 11.139,70 pontos. Iberdrola caiu 6% e Gás Natural, 5,1%, mas Endesa foi na contramão do mercado e saltou 4,3%, em meio a especulações de que a Acciona possa vender sua fatia na companhia. Os papeis da Acciona subiram 2,3%. Em Portugal, a Bolsa de Lisboa recuou 2,7% e fechou a 8.354,13 pontos. Portugal Telecom caiu 2,95% e Galp Energia fechou em baixa de 5%. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG