As principais bolsas européias fecharam em baixa acentuada, com as ações do setor automotivo liderando as perdas diante da disparada dos preços do petróleo - que chegaram a subir mais de US$ 4,00 por barril -, alerta de lucro da alemã BMW e gigantesco prejuízo da General Motors, segundo operadores e analistas. A queda das vendas de carros pela Europa já tinha forçado a indústria a reduzir a produção doméstica e isso provavelmente vai piorar nos próximos meses, disse Dominique Barbet, economista do BNP Paribas.

Em Londres, o índice FT-100 caiu 1,06% e fechou com 5.354,7 pontos; em Paris, o índice CAC-40 recuou 1,78% e fechou com 4.314,34 pontos; em Frankfurt, o índice Xetra-Dax caiu 1,28% e encerrou com 6.396,46 pontos.

As bolsas reduziram parte das perdas imediatamente após a divulgação do relatório da mão-de-obra dos EUA em julho, que mostrou queda de 51 mil vagas no mercado de trabalho, mas melhor que a expectativa de declínio de 65 mil vagas dos analistas. Contudo, uma disparada nos preços do petróleo pesou sobre as ações européias. Na Bolsa Mercantil de Nova York, o petróleo chegou a subir a US$ 128,60 por barril, antes de fechar em cerca de US$ 125,00 por barril.

O setor automotivo foi fortemente atingido pelo anúncio da BMW de declínio de 33% no lucro líquido do segundo trimestre. Além disso, a montadora alemã disse que 2009 será um ano difícil. A BMW surpreendeu o mercado ao antecipar a divulgação do seu balanço trimestral em quatro dias e alertar que o acentuado declínio no mercado de automóveis nas últimas semana significa que não irá atingir suas metas para 2008.

A norte-americana General Motors aumentou a sombra sobre o setor em geral ao anunciar um prejuízo líquido de US$ 15,5 bilhões no segundo trimestre. A montadora somou US$ 9,1 bilhões em encargos e baixas contábeis e sofreu um substancial declínio nas vendas na América do Norte.

Em Frankfurt, as ações da BMW caíram 5,36%, as da Porsche recuaram 5,48% e as da Volkswagen fecharam em baixa de 4,05%. Em Paris, as ações da Renault caíram 3,59% e as da Peugeot Citroën fecharam em baixa de 1,78%, pressionadas pela desaceleração do crescimento dos registros de novos carros.

Em Milão, o índice S&P/MIB caiu 0,71% e fechou com 28.130 pontos; em Madri, o índice Ibex-35 recuou 2,62% e terminou o dia com 11.569,50 pontos; em Lisboa, o índice PSI-20 caiu 1,32%, para 8.384,85 pontos. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.