Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bolsas da Europa fecham em alta pelo quarto dia seguido

LONDRES (Reuters) - As bolsas de valores européias fecharam em alta nesta sexta-feira, no quarto dia de rali, impulsionadas pelos papéis do setor petrolífero e farmacêutico. No final da sessão, houve alta no setor bancário, apesar das ações do Barclays terem caído depois que o banco vendeu participação a investidores do Oriente Médio. O índice das principais ações européias FTSEurofirst 300 registrou alta de 2,79 por cento, de acordo com dados preliminares, para 928 pontos.

Reuters |

O índice registrou valorização de 11,9 por cento na semana, mas teve perda de 12,7 por cento em outubro, na pior queda desde setembro de 2002, quadro alimentado pela crise de crédito e pela consequente desaceleração econômica.

O consenso geral é que é uma reação de vôo da galinha, segundo afirmou Gareth Williams, estrategista de ações européias do ING. "Mas ainda é cedo para dizer. Há muitos sinais positivos vindo de vários tipos de fontes", disse Williams.

"Mas há sinais negativos da economia. Talvez o mercado tenha que testar as baixas novamente antes de investidores acreditarem no rali. A eleição dos Estados Unidos na próxima semana pode ser um catalisador para uma confiança maior."

Ele acrescentou ainda: "Alertas de lucro e corte de dividendos não têm ajudado."

Houve demanda por papéis de empresas farmacêuticas dada a qualidade defensiva dessas ações, com GlaxoSmithKline em alta de 4,36 por cento, Roche disparando 9,6 por cento, Novartis subindo 5 por cento e Shire se valorizando em 4,5 por cento.

As ações do setor petrolífero se recuperaram ante perdas da véspera, apesar de declínio de 2,55 por cento no preço do barril negociado em Nova York, para 64,29 dólares o barril. As ações de Total, ENI, BP e Royal Dutch Shell registraram alta entre 2,5 e 4,3 por cento.

As ações de bancos tiveram rali no final do dia. Papéis do Anglo Irish dispararam 21,3 por cento com a caça de barganhas após fraqueza recente, enquanto o Santander se valorizou em 5,4 por cento e o Credit Agricole saltou 8,9 por cento.

Os papéis do Barclays despencaram 12,8 por cento depois que o banco britânico informou que estava recebendo 12,1 bilhões de dólares de investidores do Qatar, de Abu Dabi e de outras regiões para evitar pegar dinheiro do plano de resgate a instituições financeiras da Grã-Bretanha

Os papéis do HSBC recuaram 2,3 por cento depois que o Goldman Sachs reduziu classificação do banco.

O banco alemão Commerzbank perdeu 6,3 por cento depois que fontes disseram que a Alemanha pode adquirir parte do segundo maior banco do país, que está lutando contra as consequências da crise financeira global.

Em LONDRES, o índice Financial Times fechou em alta de 2,0 por cento, a 4.377 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX avançou 2,44 por cento, para 4.987 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 subiu 2,33 por cento, para 3.487 pontos.

Em MILÃO, o índice Mibtel encerrou em alta de 2,57 por cento, a 16.504 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou alta de 3,32 por cento, para 9.116 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 teve alta de 1.69 por cento, para 6.360 pontos.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG