Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bolsas da Europa fecham em alta com pacote chinês

As principais bolsas européias fecharam com alta hoje, influenciadas pelo pacote de estímulo econômico anunciado pela China. O país irá investir US$ 586 bilhões em projetos que prevêem o afrouxamento das condições de crédito, o corte de impostos e gastos com infra-estrutura no país.

Agência Estado |

O anúncio do plano valorizou principalmente as ações das mineradoras. "As medidas de estímulo podem ser o fator que dará o suporte necessário aos mercados de ações", considerou o JP Morgan Asset Management em um relatório.

Tom Hougaard, estrategista-chefe de mercados da City Index, disse que as altas nos índices sinalizaram as fortes compras de barganha que dominaram quase todos os setores das bolsas. "Ainda acredito que estamos em um mercado baixista, mas podemos testemunhar um avanço como aquele que vimos após 11 de setembro de 2001, quando os mercados subiram por seis meses", disse.

Os papéis de bancos e financeiras tiveram um dia volátil, apesar da queda da taxa interbancária do mercado de Londres (Libor) em dólar para três meses para seu menor nível desde 2004. A reestruturação do plano de resgate da seguradora American International Group (AIG) pelo Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) e o Tesouro dos Estados Unidos foi um fator que teve que ser "digerido" pelos mercados, comentou um operador. Além disso, a AIG divulgou um prejuízo líquido de US$ 24,47 bilhões no terceiro trimestre deste ano, em decorrência de baixas contábeis e de perdas massivas em investimentos.

Inglaterra

A Bolsa de Londres subiu 0,89% e fechou a 4.403,92 pontos. As mineradoras foram o destaque já que se espera um aumento na demanda de minério de ferro com o pacote chinês. Xstrata fechou com alta de 11,52%, Anglo American subiu 11,56%, BHP Billiton avançou 10,64%, Rio Tinto fechou com alta de 8,63%, Lonmin subiu 8,80%. As ações do conglomerado financeiro HSBC estiveram em alta durante parte do pregão, mas depois recuaram 1,47%. A instituição divulgou perdas de US$ 4,3 bilhões com empréstimos residenciais nos EUA. Barclays recuou 1,70%.

As ações dos varejistas também recuaram, pressionadas pelo pedido de concordata da norte-americana Circuit City. Tesco perdeu 5,89% depois de ter informado queda no crescimento das vendas comparáveis na Ásia. A varejista Kingfisher fechou com queda de 6,12%.

França

Em Paris, o índice CAC-40 avançou 1,06%, a 3.505,75 pontos. ArcelorMittal subiu 5,65%. Estimulados pelo pacote chinês, os papéis da Alstom (+12,88%) e da Schneider Electric (+6,76%) avançaram. A China é responsável por grande parte das vendas dessas empresas. Já as ações dos bancos caíram. BNP Paribas recuou 4,22%, Credit Agricole perdeu 1,32% e Société Générale recuou 0,43%.

Alemanha

O mercado em Frankfurt subiu 1,76% e fechou a 5.025,53 pontos. A seguradora Allianz recuou 0,53%. A empresa informou baixa contábil de 650 milhões de euros (US$ 835 milhões) relacionada às operações com títulos lastreados por ativos do Dresdner Bank no período entre julho e setembro deste ano e alertou para mais pressões em suas operações continuadas.

A companhia de entregas postais Deutsche Post subiu 6,89% depois de anunciar que a DHL, subsidiária nos EUA, desistiu de concorrer com a FedEx e a UPS e vai demitir 9,5 mil funcionários naquele país. A siderúrgica ThyssenKrupp, que avançou 6,08%, e a companhia de agroquímicos K+S, com alta de 6,14%, foram influenciadas pelo pacote chinês. No setor financeiro, Commerzbank caiu 3,62% e Deutsche Bank subiu 0,68%.

Espanha

Em Madri, a bolsa espanhola não acompanhou os demais mercados da região e fechou em queda de 0,53%, a 9293,80 pontos. As ações do Santander, maior banco da Espanha por ativos, recuaram 5,04%. A instituição anunciou planos para levantar 7,19 bilhões de euros por meio da emissão de 1,6 bilhão de novas ações ao preço de 4,5 euros cada, que representa um desconto de 46% em relação à cotação de fechamento do papel na última sexta-feira (dia 7).

Outros bancos espanhóis também recuaram. Bilbao Vizcaya Argentaria recuou 1,98% e Banco Popular Español perdeu 0,28%.

Portugal e Itália

A Bolsa de Lisboa fechou com alta de 0,3%, a 6.690,99 pontos. EDP Renováveis subiu 6,53%, Galp avançou 2,62%, Portugal Telecom subiu 1,56%.

Em Milão, o índice S&PMib fechou com alta de 0,76%, a 22.077 pontos. A petroleira ENI fechou com alta de 2,44%. O banco UniCredit subiu 1,06%. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG