Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bolsas da Europa fecham em alta com aéreas e bancos

As bolsas européias fecharam em alta nesta terça-feira, já que o declínio acentuado do petróleo favoreceu o bom desempenho dos papéis de companhias aéreas, bancos e outras. Em Londres, porém, os ganhos foram mais contidos, diante da queda das ações de petrolíferas, as quais têm peso importante no índice da bolsa.

Agência Estado |

A Bolsa de Londres terminou em alta de 0,32%, a Bolsa de Paris subiu 1,50% e a Bolsa de Frankfurt avançou 1,51%.

O recuo dos contratos futuros de petróleo segue a constatação de que os danos com a passagem do furacão Gustav pelo Golfo do México foram aparentemente menores que o previsto. Para Bernard McAlinden, estrategista da corretora NCB Stockbrokers, em Dublin, o declínio é positivo para os mercados acionários, pois sugere que a tendência principal do petróleo é de queda.

O petróleo começou a cair em julho, mas interrompeu a trajetória nas últimas semanas por conta das preocupações com a produção no Golfo do México durante a temporada de furacões nos EUA. Se os preços continuarem caindo, podem forçar um recuo da inflação e, por sua vez, permitir que os bancos centrais cortem o juro antes do previsto, explicou McAlinden. Um cenário de juros menores é favorável para as bolsas.

O Banco Central Europeu e o Banco da Inglaterra se reúnem na quinta-feira para decidir o juro, mas por enquanto não há expectativa de reduções.

Empresas afetadas diretamente pelo petróleo, como companhias aéreas e montadoras, fecharam em alta. Ryanair Holdings subiu 8,5% e easyJet, 10,7%. Ações sensíveis a movimentos nos juros, como bancos e construtoras, também fecharam com ganhos: Credit Suisse ganhou 1,9% e Saint Gobain, 5,5%.

As resseguradoras tiveram bom desempenho diante dos danos limitados do furacão Gustav e a Swiss Re subiu 2,8%. A seguradora francesa Axa teve alta de 7,2%, ajudada pelo desempenho de Fannie Mae e Freddie Mac, já que a empresa francesa é acionista líder nas duas agências hipotecárias.

No setor financeiro, os papéis da Deutsche Boerse saltaram 6% com notícias de que o fundo de hedge norte-americano Atticus irá trabalhar em conjunto com o investidor The Children's Investment Fund para buscar mudanças no conselho supervisor da operadora de bolsa alemã. Entre as opções para criar valor imediato na Deutsche Boerse citadas por analistas, estão um programa de economia de custos, venda de tudo ou parte da Clearstream e aceleração das recompras de ações.

As ações de empresas de commodities (matérias-primas) perderam com a queda do petróleo e dos metais. BP cedeu 1,8%, Total caiu 1,2% e Tullow Oil declinou mais de 5%. Rio Tinto recuou 3,6%. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: bolsa de valores

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG