Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bolsas da Europa fecham em alta após plano de Obama

As principais bolsas européias fecharam em forte alta, impulsionadas pela esperança de que os esforços de estímulos vão impedir uma profunda e duradoura recessão em ambos os lados do Atlântico, segundo operadores e analistas. Ao longo do final de semana, o presidente eleito dos EUA, Barack Obama, disse que seu governo vai trabalhar para implementar um pacote de estímulo de meio trilhão de dólares.

Agência Estado |

Enquanto isso, o Congresso dos EUA parece estar próximo de um acordo para socorrer a indústria automotiva.

"O plano de infra-estrutura de Obama definitivamente reanimou o mercado", disse Jeremy Batstone-Carr, chefe de pesquisa do Charles Stanley Stockbrokers em Londres. "As ações estão melhores baseadas na convicção de que os pacotes de estímulo vão funcionar e as economias e os mercados vão se recuperar", acrescentou.

Em Londres, o índice FT-100 subiu 250,69 pontos, ou 6,19%, e fechou com 4.300,06 pontos; em Paris, o índice CAC-40 avançou 259,47 pontos, ou 8,68%, e fechou com 3.247,48 pontos; em Frankfurt, o índice Xetra-Dax subiu 334,41 pontos, ou 7,63%, e fechou com 4.715,88 pontos.

Os mercados de ações da Europa têm sido pressionados pelas preocupações sobre a habilidade das autoridades ao redor do mundo de agirem de forma decisiva para dar apoio as suas economias diante da recessão. Operadores disseram que a promessa de Obama, que seria o maior plano de investimento público desde o governo de Dwight D. Eisenhower - que construiu o sistema de rodovias interestaduais nos anos 1950 - de alguma forma tranqüilizaram aqueles temores.

As ações de empresas do setor de recursos básicos, amplamente vistos como um indicador da saúde da economia global, subiram, com destaque para a siderúrgica ArcelorMitttal (+17,84%) e as mineradoras Anglo American (+15,61%) e BHP Billiton (+15,63%). Entre as companhias de petróleo e gás natural, as ações da BG Group subiram 9,14% e as da BP fecharam em alta de 6,38%

O setor financeiro também registrou um forte desempenho: Deutsche Bank ganhou 12,01%, Prudential disparou 23,20%, BNP Paribas avançou 13,43%, UBS subiu 10,37% e HSBC, 5,53%.

O grupo britânico do setor de lazer (hotéis e restaurantes) Whitbread fechou em alta de 7,28%, depois de informar que está reduzindo seus planos de expansão diante do enfraquecimento do crescimento das vendas em novembro, em virtude do ambiente cada vez mais desafiador.

Em Milão, o índice S&P/MIB subiu 1.346 pontos, ou 7,49%, e fechou com 19.314 pontos; em Madri, o índice Ibex-35 avançou 545,30 pontos, ou 6,42%, e fechou com 9.036,50 pontos; em Lisboa, o índice PSI-20 subiu 153,44 pontos, ou 2,55%, e fechou com 6.174,99 pontos. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG