As principais bolsas européias fecharam em forte alta, impulsionadas pela esperança de que os esforços de estímulos vão impedir uma profunda e duradoura recessão em ambos os lados do Atlântico, segundo operadores e analistas. Ao longo do final de semana, o presidente eleito dos EUA, Barack Obama, disse que seu governo vai trabalhar para implementar um pacote de estímulo de meio trilhão de dólares.

Enquanto isso, o Congresso dos EUA parece estar próximo de um acordo para socorrer a indústria automotiva.

"O plano de infra-estrutura de Obama definitivamente reanimou o mercado", disse Jeremy Batstone-Carr, chefe de pesquisa do Charles Stanley Stockbrokers em Londres. "As ações estão melhores baseadas na convicção de que os pacotes de estímulo vão funcionar e as economias e os mercados vão se recuperar", acrescentou.

Em Londres, o índice FT-100 subiu 250,69 pontos, ou 6,19%, e fechou com 4.300,06 pontos; em Paris, o índice CAC-40 avançou 259,47 pontos, ou 8,68%, e fechou com 3.247,48 pontos; em Frankfurt, o índice Xetra-Dax subiu 334,41 pontos, ou 7,63%, e fechou com 4.715,88 pontos.

Os mercados de ações da Europa têm sido pressionados pelas preocupações sobre a habilidade das autoridades ao redor do mundo de agirem de forma decisiva para dar apoio as suas economias diante da recessão. Operadores disseram que a promessa de Obama, que seria o maior plano de investimento público desde o governo de Dwight D. Eisenhower - que construiu o sistema de rodovias interestaduais nos anos 1950 - de alguma forma tranqüilizaram aqueles temores.

As ações de empresas do setor de recursos básicos, amplamente vistos como um indicador da saúde da economia global, subiram, com destaque para a siderúrgica ArcelorMitttal (+17,84%) e as mineradoras Anglo American (+15,61%) e BHP Billiton (+15,63%). Entre as companhias de petróleo e gás natural, as ações da BG Group subiram 9,14% e as da BP fecharam em alta de 6,38%

O setor financeiro também registrou um forte desempenho: Deutsche Bank ganhou 12,01%, Prudential disparou 23,20%, BNP Paribas avançou 13,43%, UBS subiu 10,37% e HSBC, 5,53%.

O grupo britânico do setor de lazer (hotéis e restaurantes) Whitbread fechou em alta de 7,28%, depois de informar que está reduzindo seus planos de expansão diante do enfraquecimento do crescimento das vendas em novembro, em virtude do ambiente cada vez mais desafiador.

Em Milão, o índice S&P/MIB subiu 1.346 pontos, ou 7,49%, e fechou com 19.314 pontos; em Madri, o índice Ibex-35 avançou 545,30 pontos, ou 6,42%, e fechou com 9.036,50 pontos; em Lisboa, o índice PSI-20 subiu 153,44 pontos, ou 2,55%, e fechou com 6.174,99 pontos. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.