Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bolsas da Europa encerram o dia em queda com a Nokia

As principais bolsas europeias terminaram o dia em queda, em sua maioria, com investidores voltando a prestar atenção nas condições econômicas, principalmente depois de a Nokia divulgar um resultado mais fraco do que o previsto. Os avanços de algumas empresas do segmento bancário limitaram as perdas.

Agência Estado |

O índice de ações pan-europeu Dow Jones Stoxx 600 recuou 0,9%, para 182,85 pontos. Em termos de mercados locais, o índice FT-100, de Londres, caiu 7,65 pontos, ou 0,19%, e fechou com 4.052,23 pontos; em Paris, o índice CAC-40 perdeu 35,95 pontos, ou 1,24%, e fechou com 2.869,62 pontos; em Frankfurt, o índice DAX-30 teve queda de 41,73 pontos, ou 0,98%, e fechou com 4.219,42 pontos.

Em Madri, o índice Ibex-35 caiu 71,40 pontos, ou 0,87%, e fechou com 8.159,30 pontos; em Milão, o índice S&P/MIB recuou 284 pontos, ou 1,53%, e fechou com 18.270 pontos; em Lisboa, o índice PSI-20 teve alta de 39,80 pontos, ou 0,64%, e fechou com 6.263,83 pontos.

"A expectativa deve ser de uma queda na rentabilidade das empresas devido à fraqueza da economia", disse Gerhard Schwarz, estrategista do mercado de ações do UniCredit. "Não podemos esperar surpresas positivas para a temporada de balanços do quarto trimestre (de 2008) e do primeiro trimestre deste ano. Acho que isso está bem claro", acrescentou.

As ações da Nokia caíram 9,09% em Helsinque, liderando as perdas no setor de equipamentos de telecomunicação. A empresa, maior fabricante mundial de aparelhos celulares, divulgou uma queda de 69% no lucro do quarto trimestre e diminuiu as expectativas para as vendas em 2009.

Em Londres, os papéis do BT Group recuaram 9,11%. O grupo afirmou que o lucro em sua unidade de serviços globais teve queda no terceiro trimestre e que precisará gastar 340 milhões de libras esterlinas (US$ 471 milhões) para resolver o problema.

As ações da Fiat tiveram declínio de 14,54% em Milão. A montadora, que agora projeta um lucro líquido de mais de 300 milhões de euros em 2009, diminuiu a projeção de lucro operacional para 1 bilhão de euros, reduziu os dividendos e suspendeu o programa de recompra de ações.

O setor petrolífero teve um bom desempenho em Londres. As ações da BP subiram 0,82% e as da Cairn Energy, 3,69%.

As ações de algumas instituições financeiras fecharam em alta, mantendo os avanços registrados no início do dia. O Société Générale subiu 6,72%, o Credit Suisse avançou 8,61% e o HSBC Holdings ganhou 2,23%. O RBS caiu 2,40%.

Os bancos pesaram sobre os índices do mercado de ações no início da semana devido aos receios de mais baixas contábeis pelas instituições financeiras. "O que provocou tensão recentemente foi o receio de novas tentativas de estatização dos bancos e as injeções de capital", afirmou Schwarz, do UniCredit.

"Os preços devem se recuperar das perdas recentes e também existe uma perspectiva de potenciais auxílios (aos bancos) que não sejam tão prejudiciais aos acionistas quanto injeções de capital", acrescentou. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG