Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bolsas da Europa encerram em baixa com o banco UBS

As principais bolsas européias fecharam em baixa após pregões voláteis motivados pelas notícias sobre a reestruturação estratégica do banco de investimentos UBS. Em Londres, o índice FT-100 caiu 0,13% e fechou com 5.

Agência Estado |

534,5 pontos; em Paris, o índice CAC-40 recuou 0,44% e fechou com 4.518,48 pontos; em Frankfurt, o índice Xetra-Dax caiu 0,36%, para 6.585,87 pontos.

As ações do UBS caíram 2,42% depois de o banco suíço ter cedido à pressão de seus acionistas e anunciar que está adotando uma nova estrutura para seu negócio. O UBS confirmou que seus três principais negócios - banco de investimentos, administração de ativos e private banking (gestão de fortunas) - serão separados. O presdiente do UBS, Peter Kurer, também disse que a instituição não está à venda e que não existe oferta de compra atualmente na mesa.

O banco confirmou prejuízo líquido de 358 milhões de francos suíços (US$ 328,4 milhões, ou R$ 530,7 milhões) no segundo trimestre. Foi um cenário desigual para o setor financeiro na Europa. As ações do BNP Paribas caíram 3,68% em Paris. As ações do também francês Société Générale recuaram 2,72%. No entanto, em Amsterdã, as ações do grupo financeiro Fortis fecharam em alta de 5% depois de ter sua recomendação elevada por uma corretora.

Em outros setores, uma série de fracos indicadores econômicos sacudiu as ações no Reino Unido. A inflação acelerou para nova máxima em 16 anos em junho, para 4,4% ao ano, mais que o dobro da meta de inflação do Banco da Inglaterra (BoE). No geral, as ações das empresas do setor de varejo caíram em Londres, depois que os indicadores divulgados durante a noite indicaram uma queda de 0,9% nas vendas no varejo em julho em comparação com igual mês do ano passado, de acordo com o Consórcio de Varejo Britânico. As ações da Marks & Spencer caíram 2,63% e as da Kingfisher recuaram 2,19%. Contudo, as ações da Tesco, maior varejista britânica em volume de vendas, subiram 0,69%, em um movimento atrelado aos planos do Tata Group de abrir lojas da Tesco na Índia. A Tesco planeja investir £ 60 milhões durante os próximos dois anos no projeto.

O setor automotivo sustentou os acentuados ganhos do dia e registrou o melhor desempenho entre as indústrias européias, novamente respaldado pelo dólar mais forte em relação ao euro. Em Frankfurt, as ações da Volkswagen subiram 2,83% e as da BMW avançaram 1,51%. As ações da alemã Daimler fecharam em alta de 1,38% depois de ter anunciado planos para investir R$ 1,5 bilhão nos próximos três anos para aumentar sua produção de caminhões, ônibus e componentes no Brasil. Em Paris, as ações da Renault subiram 2,68% e as da Peugeot Citroën fecharam em alta de 1,66%. Em Milão, as ações da Fiat avançaram 1,55%.

Em Milão, o índice S&P/MIB caiu 0,60% e fechou com 29.380 pontos; em Madri, o índice Ibex-35 recuou 0,43% e fechou com 11.996,10 pontos; em Lisboa, o índice PSI-20 subiu 0,78% e fechou com 8.639,92 pontos. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG