As principais bolsas européias operam em queda na manhã de hoje, em meio ao recuo das ações dos setores de energia, mineração e metais e com os bancos devolvendo os ganhos por causa de preocupações com o crescimento da zona do euro (15 países europeus que compartilham a moeda). O Produto Interno Bruto (PIB) da região encolheu 0,2% no segundo trimestre deste ano em comparação com o primeiro, na mesma proporção em que caiu o consumo privado, já que o aumento do preço do petróleo no período e o enxugamento de linhas de crédito fizeram diminuir a percepção de riqueza.

Na comparação com o segundo trimestre do ano passado, a expansão foi de 1,4%, a menor desde a registrada no terceiro trimestre de 2003.

No setor financeiro, o britânico Barclays perdia 4,4%, depois de o Royal Bank of Scotland (RBS) ter rebaixado sua recomendação para o banco de manter para vender. Lloyds recuava 3,4% e o próprio RBS caía 3,4%. A instituição financeira francesa Natixis perdia 4%, depois de o jornal Les Echos ter informado que o grupo poderá fazer uma emissão de ações com preço abaixo de 3 euros, o que representa um desconto em torno de 40% em relação ao nível atual. Anglo Irish Bank cedia 3,4% e Credit Suisse caía 0,5%.

A queda das cotações de metais e do petróleo pesava principalmente sobre a Bolsa de Londres, onde empresas ligadas a mineração e energia têm forte peso no índice. Antofagasta caía 3,7%, enquanto Kazakhmys recuava 5,7% e BG perdia 2,7%. Já a BP conseguia contrariar a tendência e subia 1,1%, depois de ter sido elevada de neutra para comprar pelo Goldman Sachs.

Às 8h55 (de Brasília), a Bolsa de Londres caía 2,1%, a de Paris perdia 1,68% e a de Frankfurt cedia 1,09%. As informações são da Dow Jones e do Financial Times.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.