As ações do banco suíço UBS operam em forte baixa hoje, depois que autoridades norte-americanas aumentaram a pressão sobre a instituição financeira e exigiram acesso a até 52 mil contas bancárias de clientes dos Estados Unidos. Operadores destacam o sentimento fortemente negativo sobre os grandes bancos privados suíços, com temores de que o sigilo bancário fique ameaçado após a investigação das autoridades dos EUA.

Às 9h45 (de Brasília), o papel caía 14,45% para 10,95 euros. No mesmo horário, a Bolsa de Londres cedia 2,76%, a de Paris recuava 3,31% e a de Frankfurt tinha baixa de 3,9%.

A maior pressão sobre o principal banco suíço decorre da decisão do Departamento de Justiça dos EUA, tomada ontem, de abrir um processo pedindo que um juiz federal force o UBS a divulgar para a Receita Federal dos EUA as identidades dos clientes norte-americanos do banco com contas secretas na Suíça. Um dia antes, o UBS havia concordado em fornecer dados sobre um limitado número de clientes para solucionar uma investigação sobre evasão de impostos nos EUA.

A queda das ações do UBS derrubou também outros concorrentes do banco suíço, já que a investigação dos EUA parece ameaçar a Suíça como um importante mercado de private banking. "A União Europeia já pediu os mesmos direitos dados aos EUA e provavelmente vai aumentar a pressão (sobre os bancos)", afirmou Rainer Skierka, analista do Banco Sarasin.

Outras notícias do setor financeiro colaboram para a pressão sobre as ações dos bancos, como a de que o alemão Hypo Real Estate Holding estaria em uma situação pior do que a imaginada e a de que a seguradora francesa Axa foi rebaixada pela agência de classificação de risco Standard & Poor's (S&P).

As ações do também suíço Credit Suisse - que também opera uma unidade nos EUA, mas não foi alertada sobre qualquer investigação como a do UBS - caíam 8,65%, para 26,60 francos suíços. A administradora de investimentos Julius Baer, que não possui mais negócios de private banking nos EUA, recuava 9,94%, para 30,28 francos suíços. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.