SÃO PAULO - As principais bolsas da Europa iniciaram o segundo trimestre do ano em alta, após divulgação de pesquisas sobre a atividade manufatureira em vários países. Os agentes observam o avanço do Índice de Gerente de Compras na China, que ficou em 55,1% em março, ou 3,1 pontos percentuais acima da marca de um mês antes.

SÃO PAULO - As principais bolsas da Europa iniciaram o segundo trimestre do ano em alta, após divulgação de pesquisas sobre a atividade manufatureira em vários países. Os agentes observam o avanço do Índice de Gerente de Compras na China, que ficou em 55,1% em março, ou 3,1 pontos percentuais acima da marca de um mês antes. Foi o 13º mês em que o indicador superou 50%. Já na zona do euro, o índice de gerentes de compra subiu para 56,6 em março, em comparação aos 54,2 de um mês antes. Trata-se da melhor leitura desde o fim de 2006. A Alemanha registrou a taxa de crescimento na produção mais acelerada, atingindo o nível mais elevado em 14 anos. Os investidores souberam ainda que os novos pedidos de seguro-desemprego nos Estados Unidos ficaram em 439 mil na semana terminada no dia 27 de março, com queda de 6 mil perante a marca anterior, de 445 mil (revisada). A expectativa agora recai na divulgação dos dados do Departamento de Trabalho dos EUA sobre o mercado de trabalho, que ocorre amanhã. Em Londres, o FTSE-100 registrava, há pouco, alta de 0,88%, aos 5.729 pontos. Já o CAC-40, de Paris, tinha elevação de 1,50%, aos 4.033 pontos. Por fim, o DAX, de Frankfurt, subia 1,18%, aos 6.226 pontos. O movimento das ações de mineradoras ganha destaque nesta jornada, diante um aumento nos preços de metais causado pela perspectiva de alta na demanda. Há minutos, Rio Tinto e Anglo American avançavam mais de 2%. (Karin Sato | Valor, com agências internacionais)
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.