Mais uma vez, os mercados asiáticos não reagiram com otimismo à posse de Barack Obama como presidente dos Estados Unidos. Nesta quarta-feira, à exceção da Taiwan, todos fecharam no campo negativo pelo segundo pregão consecutivo, com pesadas quedas em alguns países.

Tiveram maior influência as perdas nas bolsas européias e, particularmente, em Wall Street, além das fracas perspectivas para os mercados globais.

O forte declínio nas bolsas dos EUA derrubou a Bolsa de Hong Kong para o menor nível em quase dois meses. As seguradoras chinesas lideraram a queda, após China Life informar que seu lucro líquido em 2008 pode ter caído mais de 50%. Com fraco volume de negociações, o Hang Seng perdeu 376,14 pontos, ou 2,9%, e encerrou aos 12.583,63 pontos, no pior fechamento desde 24 de novembro - com isso, o índice já acumula baixo de 20% desde o início do ano.

A queda nas ações de produtores de metais, por conta da desvalorização dos preços globais das commodities, e de fabricantes de utensílios domésticos e varejistas, em virtude de sinais de leve redução na demanda dos consumidores, levaram as Bolsas da China a fechar em ligeira baixa. Com modesto volume de negociações, o Xangai Composto caiu 0,5% e encerrou aos 1.985,02 pontos. Já o Shenzhen Composto perdeu 0,4% e terminou aos 604,57 pontos.

A desvalorização do dólar em relação ao euro, durante os pregões nos mercados asiáticos, fez o yuan se valorizar sobre a moeda norte-americana, apesar de uma ligeira alta na taxa de paridade central dólar-yuan. No mercado de balcão, a cotação de compra e venda do dólar encerrou em 6,8378 yuans, abaixo do fechamento de terça-feira, que foi de 6,8410 yuans.

Já a Bolsa de Taipé, em Taiwan, apresentou ligeira alta. No encalço dos contratos futuros de janeiro e com a presença de investidores em busca de ofertas de ocasião, o Taiwan Weighted recuperou-se das perdas verificadas na sessão da manhã e subiu 0,1%, aos 4.247,97 pontos.

O setor financeiro liderou as perdas da Bolsa de Seul, na Coreia do Sul, onde o índice Kospi fechou em queda de 2,1%, aos 1.103,61 pontos.

A Bolsa de Sydney, na Austrália, conseguiu terminar em baixa de apenas 1% no índice S&P/ASX 200, aos 3.442,80 pontos, mesmo depois de uma série de anúncios de cortes de produção e de demissões nas mineradoras.

O índice PSE Composto da Bolsa de Manila, nas Filipinas, caiu 2,1%, para 1.858,16 pontos, no sétimo pregão consecutivo de baixa. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.