As principais Bolsas europeias iniciaram a quinta-feira com muita prudência, depois que a maioria das praças asiáticas registraram perdas, em conseqüência da preocupação provocada pelas dificuldades para a aprovação do plano de resgate do setor financeiro americano.

Na Bolsa de Londres, o índice Footsie-100 perdia 0,27% às 07H45 GMT (4H45 de Brasília). Em Frankfurt, o Dax progredia 0,12% e em Paris o CAC 40 ganhava 0,59%.

"Os mercados aguardam com avidez a menor boa notícia sobre o plano de compra de ativos podres dos bancos, atualmente em discussão no Congresso americano", afirmou Jean-François Virolle, da corretora Global Equities en París.

Em Tóquio, o índice Nikkei 225 perdeu 0,90%. Os números ruins do comércio exterior japonês, que em agosto registraram déficit, se somaram às dúvidas sobre o resgate do setor financeiro americano.

A Bolsa de Taipé fechou em queda de 1,17%, enquanto Hong Kong perdeu 0,2%. Nova Zelândia (-0,67%) e Sydney (-1,09%) também registraram baixas. Cingapura retrocedeu 1,35%.

Os destaques positivos ficaram com as altas de Manila (2,23%) e Seul (0,38%), mas principalmente com a Bolsa de Xangai, que progrediu 3,64% graças às expectativas de medidas do governo favoráveis ao mercado.

Reflexo da indecisão dos mercados mundiais, Wall Street fechou sem uma tendência clara na quarta-feira: o índice Dow Jones retrocedeu 0,27%, mas a Nasdaq ganhou 0,11%.

O presidente George W. Bush pediu mais uma vez na quarta-feira a aprovação pelo Congresso do plano de resgate dos bancos. Além disso, para demonstrar a gravidade da crise, convidou para uma reunião na Casa Branca os dois candidatos à presidência, o democrata Barack Obama e o republicano John McCain.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.