Tóquio - As Bolsas asiáticas tiveram fortes quedas nesta sexta-feira. O índice Nikkei da Bolsa de Tóquio fechou em baixa de 811,90 pontos (9,59%), aos 7. 649,08, após notícias negativas sobre a gigante de eletrônica Sony.

O ânimo dos investidores japoneses foi alterado pelo anúncio da Sony, na quinta-feira após o fechamento da Bolsa, de uma severa revisão para baixo de seus objetivos anuais.

A previsão de lucro líquido anual da Sony caiu para 150 bilhões de ienes (1,15 bilhão de euros), contra 240 bilhões antecipados em julho e 290 bilhões indicados no início de suas previsões.

No ano passado (fechado em março), a Sony registrou um resultado líquido positivo recorde de 369 bilhões de ienes.

"Esta revisão não foi uma grande surpresa para a comunidade dos investidores institucionais, mas poderá levar os investidores individuais a vender suas ações", disse Kazumasa Kubota, analista da Okasan Securities.

A ação da Sony perdia 11% no final da manhã, arrastando os demais papéis do setor eletrônico.

O índice Kospi da Bolsa de Seul também despencou hoje 110,96 pontos (10,57%), para 938,75. O indicador de valores tecnológicos Kosdaq perdeu 32,27 pontos (10,45%), aos 276,68.

Emergência

O Banco do Japão (BOJ) injetou nesta sexta outros 600 bilhões de ienes (US$ 6,245 bilhões) no mercado financeiro, como medida de emergência para dar cobertura aos créditos a curto prazo do sistema bancário.

O BOJ realizou esta injeção em uma jornada de grandes perdas para o índice Nikkei da Bolsa de Tóquio, que fechou hoje abaixo da barreira dos 8.000 pontos pela primeira vez desde maio de 2003, após uma queda de 9,59%.

O Banco do Japão já havia injetado essa mesma quantia ontem no mercado financeiro, em um ambiente de crescente preocupação com a crise econômica global.

No total, o BOJ injetou no mercado cerca de 36 trilhões de ienes (US$ 380,971 bilhões) desde que o banco de investimento americano Lehman Brothers decretou falência, no dia 15 de setembro.

Leia mais sobre: Bolsas asiáticas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.