Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bolsas asiáticas se mantêm em queda; Xangai perde 3,1%

Os mercados asiáticos continuaram em queda, desta vez bastante acentuada. Os pregões foram fortemente influenciados pelas pressões inflacionárias, especialmente por conta da alta nos preços do petróleo.

Agência Estado |

Fatores internos de cada país também pesaram no sentimento do investidor. As Bolsas de Hong Kong e Bangcoc (Tailândia) não operaram por ser feriado.

As pesadas preocupações de que o governo chinês irá manter sua política de aperto monetário e a visão baixista do mercado em relação às ações do setor financeiro novamente influenciaram as Bolsas da China, que apresentaram forte declínio. O índice Xangai Composto caiu 3,1% e encerrou aos 2.651,60 pontos, no pior fechamento desde 5 de fevereiro de 2007. Já o Shenzhen Composto perdeu 2,1% e terminou aos 776,67 pontos. Yuan - Uma alta acima das expectativas da taxa de paridade central dólar-yuan fez a moeda chinesa se desvalorizar em relação à unidade norte-americana, apesar da redução da demanda por dólar por parte dos importadores chineses. No mercado de balcão, o dólar fechou cotado em 6,8561 yuans, acima do fechamento de segunda-feira, que foi de 6,8543 yuans.

A Bolsa de Taipé, em Taiwan, teve mais uma sessão de queda acentuada, com fraco volume de negociações. O índice Taiwan Weighted caiu 1,5% e encerrou aos 7.407,98 pontos, no pior fechamento em 16 meses. Na Coréia do Sul, o mercado fechou no campo negativo pelo quarto pregão consecutivo. O índice Kospi da Bolsa de Seul caiu 0,5% e fechou aos 1.666,46 pontos. O mercado filipino fechou em forte baixa. O índice PSE Composto, da Bolsa de Manila, caiu 1,8% e fechou aos 2.415,25 pontos, o pior nível de pontuação em 22 meses. A Bolsa de Sydney, na Austrália, também apresentou baixa, novamente por causa do enfraquecimento dos papéis do setor financeiro, que foram influenciados pela queda dos bancos em Wall Street. O índice S&P/ASX 200 perdeu 1,5% e encerrou aos 5.138,9 pontos.

A Bolsa de Cingapura caiu na ausência de fatores positivos a direcionar o mercado e pelas persistentes preocupações sobre a habilidade dos mercados em resistir à alta dos preços do petróleo e ao recuo econômico dos Estados Unidos. O índice Straits Times cedeu 1,4% e fechou aos 2.906,79 pontos. A inflação menor que a esperada em junho ajudou o mercado indonésio a fechar na contramão dos vizinhos. Também colaboraram compras de papéis que estavam baratos. O índice composto da Bolsa de Jacarta subiu 1,3% e fechou aos 2.378,80 pontos. Na Malásia, o índice composto de cem blue chips da Bolsa de Kuala Lumpur recuou 1,0% e fechou aos 1.174,83 pontos, devido às preocupações com a alta dos preços do petróleo e a incerteza política local. As informações são da Dow Jones

Leia mais sobre Bolsa de valores 

Leia tudo sobre: bolsa de valores

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG