Os mercados asiáticos continuaram em queda, desta vez bastante acentuada. Os pregões foram fortemente influenciados pelas pressões inflacionárias, especialmente por conta da alta nos preços do petróleo.

Fatores internos de cada país também pesaram no sentimento do investidor. As Bolsas de Hong Kong e Bangcoc (Tailândia) não operaram por ser feriado.

As pesadas preocupações de que o governo chinês irá manter sua política de aperto monetário e a visão baixista do mercado em relação às ações do setor financeiro novamente influenciaram as Bolsas da China, que apresentaram forte declínio. O índice Xangai Composto caiu 3,1% e encerrou aos 2.651,60 pontos, no pior fechamento desde 5 de fevereiro de 2007. Já o Shenzhen Composto perdeu 2,1% e terminou aos 776,67 pontos. Yuan - Uma alta acima das expectativas da taxa de paridade central dólar-yuan fez a moeda chinesa se desvalorizar em relação à unidade norte-americana, apesar da redução da demanda por dólar por parte dos importadores chineses. No mercado de balcão, o dólar fechou cotado em 6,8561 yuans, acima do fechamento de segunda-feira, que foi de 6,8543 yuans.

A Bolsa de Taipé, em Taiwan, teve mais uma sessão de queda acentuada, com fraco volume de negociações. O índice Taiwan Weighted caiu 1,5% e encerrou aos 7.407,98 pontos, no pior fechamento em 16 meses. Na Coréia do Sul, o mercado fechou no campo negativo pelo quarto pregão consecutivo. O índice Kospi da Bolsa de Seul caiu 0,5% e fechou aos 1.666,46 pontos. O mercado filipino fechou em forte baixa. O índice PSE Composto, da Bolsa de Manila, caiu 1,8% e fechou aos 2.415,25 pontos, o pior nível de pontuação em 22 meses. A Bolsa de Sydney, na Austrália, também apresentou baixa, novamente por causa do enfraquecimento dos papéis do setor financeiro, que foram influenciados pela queda dos bancos em Wall Street. O índice S&P/ASX 200 perdeu 1,5% e encerrou aos 5.138,9 pontos.

A Bolsa de Cingapura caiu na ausência de fatores positivos a direcionar o mercado e pelas persistentes preocupações sobre a habilidade dos mercados em resistir à alta dos preços do petróleo e ao recuo econômico dos Estados Unidos. O índice Straits Times cedeu 1,4% e fechou aos 2.906,79 pontos. A inflação menor que a esperada em junho ajudou o mercado indonésio a fechar na contramão dos vizinhos. Também colaboraram compras de papéis que estavam baratos. O índice composto da Bolsa de Jacarta subiu 1,3% e fechou aos 2.378,80 pontos. Na Malásia, o índice composto de cem blue chips da Bolsa de Kuala Lumpur recuou 1,0% e fechou aos 1.174,83 pontos, devido às preocupações com a alta dos preços do petróleo e a incerteza política local. As informações são da Dow Jones

Leia mais sobre Bolsa de valores

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.