Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bolsas asiáticas apresentam sinais variados

O dia de pânico vivido ontem no mercado financeiro mundial não teve continuidade nesta terça-feira nos mercados da Ásia. A possibilidade de recessão na economia norte-americana continuou a pesar no sentimento dos investidores.

Agência Estado |

Contudo, as bolsas regionais sofreram ainda outras influências e não tiveram um sinal homogêneo. A Bolsa de Hong Kong esteve fechada por ser feriado.

Na China, as preocupações referentes à crise financeira global fizeram as Bolsas fecharem em baixa. Mas os ganhos em ações de bancos e imobiliárias, no final do pregão, reduziram as perdas do dia. O índice Xangai Composto caiu 0,7% e encerrou aos 2.157,84 pontos. Já o Shenzhen Composto perdeu 0,8% e terminou aos 586,11 pontos. Yuan - O rali do euro em relação ao dólar, ocorrido durante os pregões nos mercados asiáticos, fez o yuan se valorizar sobre a moeda norte-americana. No mercado de balcão, o dólar fechou cotado aos 6,8169 yuans, de 6,8430 yuans do fechamento de segunda-feira.

Após fechar na véspera com a pior pontuação em mais de quatro anos, a Bolsa de Taipé, em Taiwan, iniciou o pregão em forte baixa. Recuperou-se ao longo do dia no encalço de outras bolsas regionais e fechou em ligeira alta. Com fraco volume de negociações - o menor em quase dois anos -, o índice Taiwan Weighted ganhou 0,3% e encerrou aos 5.524,66 pontos. A Bolsa de Seul, na Coréia do Sul, fechou em alta com a busca por ações baratas por parte das instituições locais e com a esperança dos investidores de uma coordenação dos esforços mundiais para estabilizar os mercados. O índice Kospi avançou 0,5% e fechou aos 1.366,10 pontos. Já a Bolsa de Manila, nas Filipinas, fechou em forte baixa, no encalço das pesadas perdas em Wall Street e no mercado japonês, por conta da intensificação dos temores de uma recessão global. Com moderado volume de negociações, o índice PSE Composto caiu 3% e encerrou aos 2.424,19 pontos. Na Austrália, a Bolsa de Sydney inverteu a tendência de queda graças à decisão do banco central australiano, que cortou a taxa básica de juros em 1 ponto porcentual, para 6%. O índice S&P/ASX 200 teve alta de 1,7% e terminou aos 4.618,7 pontos.

A Bolsa de Cingapura teve alta, impulsionada pelo corte dos juros na Austrália, o que ajudou a atiçar o apetite pelo risco em meio a rumores de que outros bancos centrais devem seguir esse exemplo. O índice Straits Times subiu 0,4% e fechou aos 2.177,55 pontos. Na Tailândia, o índice SET da Bolsa de Bangcoc recuou 4,2% e fechou aos 528,71 pontos, por conta de confrontos entre a polícia e manifestantes contra o governo. Na Indonésia, o índice composto da Bolsa de Jacarta cedeu 1,8% e fechou aos 1.619,72 pontos, na seqüência da decisão do banco central do país de elevar a taxa de juros para 9,5%, na intenção de conter a alta da inflação. O índice composto de cem blue chips da Bolsa de Kuala Lumpur, na Malásia, terminou quase estável, com alta de 0,04%, fechando aos 997,23 pontos. Segundo traders, houve virada devido à chocante decisão do banco central australiano de cortar os juros em 100 pontos-base. As informações são da Dow Jones

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG