Com os mercados dos EUA fechados ontem por causa do feriado do Dia do Trabalho, as Bolsas da Ásia se pautaram pela valorização do dólar, a retração nos preços do petróleo e fatores internos. Nesta terça-feira não houve uma tendência definida entre os principais mercados regionais.

A presença no final do pregão de investidores em busca de ofertas de ocasião em empresas defensivas, como a produtora de energia CLP e o gigante bancário HSBC, mais do que ofuscou o declínio na produtora de gás e petróleo Cnooc, ajudando a Bolsa de Hong Kong a fechar em alta. O índice Hang Seng subiu 136,15 pontos, ou 0,7%, e terminou aos 21.042,46 pontos.

As crescentes preocupações sobre a adoção, por parte de Pequim, de uma política de aperto monetário, com o objetivo de controlar a inflação e enxugar a liquidez do mercado, fizeram cair as ações do setor bancário. Com isso, as Bolsas da China apresentaram queda pelo segundo pregão consecutivo. O índice Xangai Composto caiu 0,9% e encerrou aos 2.304,89 pontos. Já o Shenzhen Composto perdeu 0,3% e terminou aos 635,49 pontos. Yuan - A demanda por dólar, após a moeda norte-americana se fortalecer em relação ao euro, fez o yuan se desvalorizar sobre a unidade dos EUA. No mercado de balcão, o dólar fechou cotado em 6,8397 yuans, de 6,8256 yuans no fechamento de segunda-feira.

O declínio nos mercados regionais levou a Bolsa de Taipé , em Taiwan, a fechar em queda. Com volume de negociações acima da média, o índice Taiwan Weighted estendeu as perdas de 3,3% da véspera, caiu mais 1,7% e encerrou aos 6.699,82 pontos, o pior fechamento desde 15 de setembro de 2006. A Bolsa de Seul , na Coréia do Sul, fechou em ligeira baixa, depois de cair 4,1% ontem. O índice Kospi recuou 0,5%, ou 7,29 pontos, e terminou em 1.407,14 pontos, o menor nível de fechamento em quase 18 meses. A recompra de ações por parte das empresas sustentou a alta da Bolsa de Manila , nas Filipinas. O índice PSE Composto avançou 0,8% e encerrou aos 2.708,25 pontos, ultrapassando o nível de resistência dos 2.700 pontos. Na Austrália, a Bolsa de Sydney fechou praticamente estável. As ações de mineradoras e petrolíferas caíram, arrastadas pelo recuo no preço das commodities. Já o setor financeiro e outras ações sensíveis às taxas de juros se valorizaram depois que o banco central australiano reduziu as taxas, como esperado. O índice S&P/ASX 200 perdeu apenas 0,04%, ou 2,3 pontos, e terminou com 5.116,0 pontos.

A Bolsa de Cingapura mais que se recuperou das perdas de ontem e terminou em alta. Compras de ofertas do setor imobiliário também contribuíram para a alta. O índice Straits Times subiu 1,6% e fechou aos 2.758,94 pontos, mais alto nível desde 18 de agosto. Na Indonésia, o mercado recuou devido ao enfraquecimento da moeda e preocupações sobre o desenvolvimento regional. No entanto, procuras por barganhas em papéis de bancos ajudaram a reter a queda. O índice composto da Bolsa de Jacarta cedeu 0,3% e fechou aos 2.159,05 pontos. O mercado tailandês tombou com a decretação de estado de emergência na capital após violentos confronte entre grupos pró e contra o governo na noite passada. O índice SET da Bolsa de Bangcoc caiu 2,6% e fechou aos 657,60 pontos.O índice composto de cem blue chips da Bolsa de Kuala Lumpur , na Malásia, caiu 1,2% e fechou aos 1.086,99 pontos, devido a realizações de lucros em todos os setores uma vez que os investidores retiveram os ganhos do minirrali de sexta-feira. As informações são da Dow Jones

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.