Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bolsa tem menor giro do ano e fecha em baixa de 0,93%

O feriado norte-americano do Dia do Trabalho proporcionou um pregão atípico para a Bovespa, diante da liquidez baixíssima. O giro financeiro do pregão não chegou nem a R$ 2 bilhões e foi o menor de 2008.

Agência Estado |

A desvalorização das commodities (matérias-primas) guiou os negócios e patrocinou a queda do principal índice, que também mirou de longe o desempenho negativo das bolsas européias .

O Ibovespa, principal índice da Bolsa paulista, trabalhou o dia todo em baixa - oscilou entre a mínima de 54.933 pontos (-1,34%) e a máxima de 55.665 pontos (-0,03%) - para então fechar em 55.162,1 pontos, em queda de 0,93%. No ano até hoje, acumula perdas de 13,66%.

O giro financeiro somou R$ 1,998 bilhão, o menor de 2008 (a marca anterior, de 25 de agosto, era de R$ 2,581 bilhões). Isso também significa dizer que qualquer negócio hoje teve peso ampliado para mexer no índice, sinal de que o pregão foi distorcido em relação ao que acontece normalmente na bolsa.

A recuperação do dólar diante de outras moedas - no Brasil e no exterior - proporcionou a retração no preço das commodities metálicas e também do petróleo. Este último ainda contou com o enfraquecimento do furacão Gustav, o que levou os investidores a desmontar posições compradas (de aposta na alta) e empurrar os preços para baixo. Por causa do feriado, as cotações na Bolsa Mercantil de Nova York eram negociadas no mercado eletrônico, onde, às 17h19 (de Brasília), o contrato futuro de petróleo WTI para outubro caía 3,78%, a US$ 111,09 o barril. Em Londres, o petróleo Brent perdia no mesmo horário 3,73%, para US$ 109,80. Petrobras PN fechou em baixa de 1,98% e Petrobras ON caiu 1,99%.

Segundo um operador do mercado, embora o pregão de hoje tenha sido "um ponto fora da curva", não dá para dizer que setembro, que "oficialmente começa amanhã" para a Bovespa, vai ser um mês mais tranqüilo do que foi agosto. "Teremos mais do mesmo, ou seja, muita volatilidade e incerteza com a manutenção dos problemas nos EUA. É preciso que o dinheiro volte para a Bovespa ganhar fôlego", resumiu. Com o enfraquecimento do Gustav e a agenda tranqüila, Nova York pode voltar ao trabalho amanhã com vigor para ir às compras - e beneficiar o mercado local. A conferir.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG