Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bolsa sobe 2,9%, mas tem perdas de 2,53% na semana

A Bovespa apagou hoje parte das perdas de mais de 5% acumuladas nas últimas quatro sessões. Subiu 2,90%, num pregão apontado pelos especialistas como uma correção ao encerramento de quinta das bolsas norte-americanas - a Bovespa já estava fechada quando os índices se recuperaram em Wall Street. No mês, o índice registra alta de 6%.

Redação com agências |

 

Os vencimentos futuros na próxima semana e a entrada pontual de investidores estrangeiros na compra também influenciaram hoje.

O Ibovespa subiu 2,90%, aos 41.673,62 pontos. Tocou a mínima de 40.512 pontos (+0,03%) e a máxima de 41.833 pontos (+3,29%). Na semana, acumulou perdas de 2,53%, mas no mês e no ano tem ganhos, de 6,04% e 10,98%, respectivamente. O giro financeiro somou R$ 3,532 bilhões.

Depois que a Bolsa doméstica fechou ontem, os índices em NY acabaram subindo, por causa dos rumores sobre um programa do governo Obama para socorrer mutuários antes que eles tenham que recorrer ao calote no pagamento das hipotecas. Isso serviu para embasar a abertura em alta.

Embora a justificativa tenha também servido para sustentar os ganhos ao longo do dia, os analistas ainda citaram a entrada de recursos estrangeiros, sobretudo por causa dos vencimentos na próxima semana. Segunda-feira acontece o de opções sobre ações e, na quarta, o de Ibovespa futuro e de opções sobre Ibovespa. Mas o volume do ingresso foi pequeno. "O giro fraco do dia também potencializou as ordens de compra", destacou um economista de um banco estrangeiro para justificar o tamanho dos ganhos sem grandes fatos para embasar.

O noticiário, na verdade, não foi dos melhores, embora as bolsas europeias tenham conseguido pinçar algumas informações positivas, como balanços pontuais. Por lá, a maioria das bolsas subiu, mas Londres recuou 0,30%.

Nos EUA, o pacote acertado entre Câmara e Senado já passou pela primeira Casa, mas com US$ 2 bilhões a menos: US$ 787 bilhões. Os senadores ainda precisam aprová-lo, o que deve acontecer ainda hoje. Os efeitos do pacote, no entanto, foram limitados sobre as ações. O pregão em Wall Street foi morno, com volume mais fraco, por causa do feriado do Dia do Presidente, na segunda-feira. Às 18h23 (de Brasília), o índice Dow Jones recuava 0,88%.

Na Bovespa, Vale voltou a puxar as compras, beneficiada pela alta dos metais e pelos vencimentos. Vale ON subiu 4,54% e Vale PNA avançou 2,99%. As siderúrgicas também subiram: Gerdau PN ganhou 3,04%; Metalúrgica Gerdau PN, 2,69%; Usiminas PNA, 3,19%; e CSN ON, 4,24%.

Petrobras ON subiu 3,57% e PN, 3,02%, com a disparada de mais de 10% do preço do petróleo.

Câmbio

Com menos surpresas nos mercados externos e foco na economia local, o dólar fechou em queda frente ao real nesta sexta-feira. A moeda norte-americana já abriu em baixa e assim permaneceu durante todo o dia. No encerramento, a divisa teve queda de 1,05%, para R$ 2,266 reais para venda, a menor cotação da sessão. Na semana, o dólar acumulou alta de 0,67%.

"Os dados negativos estão aí. O mercado já está embutido nesse noticiário. No caso do câmbio especificamente, não há nada que justifique uma subida", disse Luis Piason, gerente de operações de câmbio da Corretora Concórdia. "Bovespa e Wall Street estão descolados. Eles estavam muito parelhos, o que mostra que as últimas medidas do governo, como o aumento do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) e o anúncio dos subsídios para aquisição de moradias, têm surtido efeito", finalizou.

 (Com Agência Estado e Reuters)

Leia tudo sobre: bolsabovespa

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG