Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bolsa sobe 0,79%, mas definição só deve vir após payroll

Após dois dias de quedas fortes, de 10,70%, seria natural que a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) tivesse hoje um dia de recuperação técnica, mas uma definição do mercado só deverá ocorrer após a divulgação, às 11h30, dos dados sobre o mercado de trabalho nos EUA em outubro, entre eles o payroll (número de vagas). Enquanto isso, o Ibovespa futuro subia 0,81%, amparado no sinal positivo emitido pelos índices futuros em Nova York e pela reação dos preços das commodities.

Agência Estado |

O índice Bovespa à vista operava em alta de 0,79% a 36.650 pontos, às 11h05, nos primeiros negócios do pregão regular.

Analistas consultados pela Dow Jones esperam corte de 200 mil vagas de trabalho em outubro nos EUA e elevação da taxa de desemprego de 6,1% para 6,3%. Se os dados de emprego americano vieram fracos podem dar mais argumentos para o Federal Reserve (Fed, banco central americano) continuar baixando os juros norte-americanos.

Além disso, os preços dos ativos devem ser influenciados pelos resultados das montadoras norte-americanas. A Ford informou que o prejuízo foi reduzido em 66%, para US$ 129 milhões no terceiro trimestre. Com isso, o prejuízo por ação foi de US$ 0,06 ante previsão de US$ 0,94. Mas ainda falta sair o balanço da General Motors.

No final da tarde, as atenções estarão voltadas para o presidente eleito dos EUA, Barack Obama, que concede às 16h30, em Chicago, sua primeira entrevista coletiva, após encontro com sua equipe econômica.

Apesar do alívio sinalizado pelo mercado acionário hoje as notícias evidenciando um quadro de recessão nas principais economias do planeta não dão trégua. A Alemanha anunciou hoje que a produção industrial caiu 3,6% em setembro ante agosto, a maior queda desde janeiro de 1995. Em Frankfurt, a Bolsa mostra alta pálida de 0,17%, em Paris, de 0,12% e em Londres o ganho era maior, de 1,26%.

Na Coréia do Sul, o Banco Central reduziu a taxa básica de juros em 0,25 ponto porcentual, para 4% ao ano, para estimular a economia. Foi a quarta redução dos juros em quatro semanas.

Na Bovespa, o foco deve recair novamente sobre as ações da Nossa Caixa, que ontem disparou 13,07%, a maior do Ibovespa, em meio a notícia de que o preço de venda para o Banco do Brasil já teria sido definido. Segundo apurou a Agência Estado, o projeto de lei que autoriza o governo paulista a vender a Nossa Caixa para o BB já está em fase final de conclusão e deverá ser encaminhado em breve para votação na Assembléia Legislativa de São Paulo.

Aracruz e Sadia voltam ao noticiário do dia. O Conselho de Administração da Aracruz vai processar o ex-diretor financeiro da empresa Isac Zagury pelas perdas bilionárias com operações de derivativos, segundo apurou o jornalista Ricardo Grinbaum, do jornal O Estado de S. Paulo. Ao jogar sobre Zagury a responsabilidade sobre as perdas, o processo abre uma brecha legal para que a VCP cancele a fusão com a Aracruz, sem ter de pagar uma multa de R$ 1 bilhão para a família Lorentzen, prevista no contrato da fusão. Os Lorentzen estão entre os principais acionistas da Aracruz e venderiam sua participação em meio à reestruturação societária das duas empresas.

No caso da Sadia, o mercado pode reagir à notícia de que um fundo de pensão de Nova York, o Westchester Putnam Counties Heavy & Highway Laborers Local 60 Benefit Funds, abriu um processo contra a empresa brasileira em função da perda de mais de US$ 360 milhões com operações com contratos derivativos de câmbio anunciada em setembro. O fundo, acionista da Sadia, pede à Justiça americana que o processo seja transformado em ação coletiva.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG