Entusiasmada principalmente pelo efeito Barack Obama nesta última semana de novembro, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) chegou bem perto de apagar as perdas do mês, garantindo a interrupção de um ciclo de baixa iniciado em junho deste ano. Porém, como as Bolsas de Nova York fecharam o pregão de hoje mais cedo, ainda nas comemorações do feriado do Dia de Ação de Graças ontem, o mercado doméstico de ações perdeu fôlego nas últimos duas horas de negócios e, pelo sexto mês seguido, registrou perdas no mês.

Ao fim da sessão, o índice Bovespa terminou o dia com elevação de 1,06%, a 36.595,87 pontos, reduzindo as perdas de novembro a -1,77%. Na melhor semana deste mês, a Bolsa doméstica subiu consideráveis 17,1%. Hoje, o índice tocou a mínima de 35.944 pontos (-0,74%) e a máxima de 37.217 pontos (+2,77%). O giro financeiro foi fraco e totalizou R$ 3,135 bilhões.

A última semana de novembro foi marcada por uma sucessão de pacotes ao redor do mundo: Estados Unidos, Reino Unido, União Européia (UE), Espanha, Itália; dentre os quais os investidores olharam principalmente para os US$ 800 bilhões que o Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) injetará na maior economia do planeta. Desses, US$ 600 bilhões vão para o setor hipotecário, justamente onde a crise começou. "Um dos passos para terminar a crise é justamente acabar com o que a gerou", destacou o gestor-gerente da Infinity Asset, George Sanders, sobre esta ajuda.

Além disso, o presidente eleito dos EUA, Barack Obama, confirmou que Timothy Geithner, atual presidente da distrital de Nova York do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA), será o próximo secretário do Tesouro. Lawrence Summers, que foi secretário do Tesouro no governo do presidente Bill Clinton, será o presidente do Conselho Econômico Nacional; Christina Romer, professora de Economia da Universidade da Califórnia em Berkeley, será a presidente do Conselho de Assessores Econômicos da Casa Branca.

Além disso, Obama, anunciou que o ex-presidente do Fed Paul Volcker irá chefiar o novo Conselho Consultivo para Recuperação Econômica, encarregado de ajudar o país a sair da recessão e de estabilizar os mercados financeiros. "

Ações

Hoje, a Bovespa conseguiu subir graças, principalmente, aos ganhos firmes das ações de primeira linha (blue chips) Vale e Petrobras, embora as siderúrgicas e os bancos também tenham tido desempenho de alta considerável.

Esta valorização dos ativos foi garantida também pelas Bolsas norte-americanas, que terminaram em alta hoje, na esteira das recentes informações de que a "Sexta-feira Negra", dia em que, tradicionalmente, começa o pico da temporada de compras natalinas nos EUA, enfim, não está sendo assim tão fraca quanto se imaginava. Pelo menos, algumas varejistas já estão comemorando os resultados melhores do que as previsões, caso da Macy's. "Eu esperava um início mais fraco do que o do ano passado, mas, até agora, este não está sendo o caso", afirmou o executivo-chefe da rede, Terry Lundgren.

No mercado doméstico, as ações da Petrobras subiram 0,55% tanto as ações ordinárias (ON) quanto as preferenciais (PN). No mês, os papéis caíram, respectivamente, 16,99% e 13,94%. Vale ON fechou em alta de 1,77%, com queda de 3,03% no mês, e as PNA recuaram 1,28% hoje; no mês, as perdas foram de 3,50%.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.