Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bolsa em São Paulo e Nova York acentuam em alta após decisão do Fed

SÃO PAULO - As bolsas de valores no Brasil e nos Estados Unidos ampliaram o movimento de alta após a divulgação da decisão de juros do Federal Reserve (Fed), banco central norte-americano. Em um movimento inesperado, o colegiado decidiu estabelecer uma banda de flutuação para a taxa básica de juros entre 0% e 0,25%.

Valor Online |

A previsão era de corte de 0,5 ponto percentual sobre a taxa que estava em 1% ao ano.

Na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), o forte movimento comprador observado desde o começo do pregão ganhou fôlego novo, puxando uma alta de 4,08% para o Ibovespa, que apontava 39.876 pontos logo após o anúncio do Fed. O giro financeiro era de R$ 2,80 bilhões.

Em Wall Street, o Dow Jones registrava valorização de 2,85%, enquanto a bolsa eletrônica ganhava 3,51%.

No comunicado apresento junto com a decisão, o Fed ressalta que desde o último encontro os dados apontam para uma deterioração nos gastos do consumidor, investimentos e produção. Além disso, os mercados financeiros permaneceram restritos assim como as condições de crédito. "De maneira geral, o cenário para a atividade econômica enfraqueceu ainda mais."
Por outro lado, o Fed nota que a inflação caiu de forma notável. E a expectativa do comitê é de preços ainda menores em função da baixa no valor das matérias-primas e da menor atividade.

O comunicado também ressalta que o Fed lançará mão de todas as ferramentas para promover o crescimento econômico sustentável e preservar a estabilidade dos preços.

Com a ferramenta taxa de juros esgotada, o foco da política monetária, segundo o próprio Fed, será dar suporte ao funcionamento dos mercados e estimular a economia por meio de operações de mercado aberto e outras alternativas.

O Fed também reforça os anúncios anteriores de compra de dívida relacionada ao crédito imobiliário e diz que está pronto aumentar o tamanho dessas intervenções.

O comitê também avalia a possibilidade de comprar títulos do tesouro de longo prazo e avisa que vai estabelecer uma linha de crédito visando os mutuários de hipotecas e pequenos empresários.

(Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG