Tamanho do texto

Tóquio - As principais Bolsas asiáticas fecharam em queda nesta quinta-feira. O índice Nikkei da Bolsa de Valores de Tóquio fechou em forte baixa de 1.089,02 pontos (11,4%), aos 8.458,45. Esta é a segunda maior queda em percentual do Nikkei em uma sessão desde a criação do índice em 1950, atrás apenas da baixa de 14,90% de 20 de outubro de 1987, depois do crac nos Estados Unidos.

O índice Topix, que reúne todos os valores da primeira seção acompanhou o Nikkei e caiu 90,99 pontos (9,52%), para 864,52.

Da mesma forma que outros mercados da região, a Bolsa de Tóquio seguiu hoje a esteira marcada pelas espetaculares perdas do pregão de Wall Street ontem e perdeu todo o terreno ganho na terça-feira, quando experimentou a maior alta de sua história, de 14,15%.

A última vez que o Nikkei fechou abaixo dos 9.000 pontos foi na última sexta-feira em outro dia negro para os mercados, com uma queda próxima a 10%, que o levou até 8.276,43 pontos.

O índice Kospi da Bolsa de Valores de Seul fechou desabou 126,54 pontos (9,44%), para 1. 213.78 unidades.

Por sua parte, o indicador de valores tecnológicos Kosdaq fechou em baixa de 35,85 pontos (9,19%), aos 354,43.

A Bolsa de Hong Kong encerrou a sessão de quinta-feira em queda de 4,8%. O índice Hang Seng perdeu 767,78 pontos, a 15.230,52 unidades.

E o índice geral da Bolsa de Valores de Xangai fechou em baixa de 84,73 pontos (4,25%), aos 1. 909,94.

O volume de negócios foi de 35,149 bilhões de iuanes (US$ 5,145 bilhões), acima dos 29,604 bilhões (US$ 4,331 bilhões) de ontem.

Europa

As principais Bolsas da Europa também abriram em baixa nesta quinta-feira.

Poucos minutos depois da abertura, o índice Footsie 100 da Bolsa de Londres perdia 5,86%.

Em Frankfurt, principal Bolsa da zona euro, o DAX retrocedia 5,19%, enquanto o índice CAC de Paris perdia 5,81%.

Quedas também eram registradas em Madri (-4,95%), Milão (-6,10%), Amsterdã (-6,41%), Oslo (-5,14%) e Zurique (-4,6%).

Na Rússia, as cotações voltaram a ser suspensas durante uma hora nas duas Bolsas de Moscou em consequencia das fortes quedas.

Leia mais sobre: Bolsas asiáticas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.