Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bolsa de NY sobe apesar de notícias corporativas ruins

O índice Dow Jones da Bolsa de Nova York abriu o pregão de hoje em leve alta e ganhava 0,12% a 8.087 pontos, às 12h37.

Agência Estado |

O índice Nasdaq subia 0,42% a 1.483 pontos logo após a abertura. O S&P 500 ganhava 0,62% a 837 pontos. O pregão começa após a confirmação da maior fusão no setor farmacêutico desde 2000 e com a reação positiva na Europa aos anúncios do banco britânico Barclays e do ING, que podem animar os bancos nos EUA e contrabalançar a diversidade de informes desfavoráveis divulgados por empresas norte-americanas. O setor corporativo deve seguir no foco durante toda esta semana, quando 137 integrantes do índice S&P 500 divulgarão seus balanços trimestrais.

As ações da Caterpillar caíam 10% no pré-mercado, após o conglomerado industrial anunciar o corte de 20 mil empregos e alertar para os resultados deste ano. "As condições econômicas globais e os preços das principais commodities continuaram a cair de forma significativa. Os mercados financeiros continuam sob estresse e nossa expectativa para 2009 piorou", afirmou o grupo, em comunicado.

O McDonald's registrou queda de 23% do seu lucro líquido no quarto trimestre do ano passado, enquanto a Sprint Nextel anunciou o corte de 8 mil empregos. As ações do McDonald's caíam 2,34% e as da Sprint, 1,22%. Outro destaque era a Pfizer, que registrou queda de 90% de seu lucro e anunciou a compra da Wyeth, por US$ 68 bilhões em dinheiro e ações. As ações da Wyeth subiam 5%, enquanto as da Pfizer caíam 4%.

No setor bancário, a Federal Deposit Insurance Corp. (FDIC) informou no sábado que o banco californiano 1st Centennial Bank foi fechado na véspera pelo Departamento de Instituições Financeiras da Califórnia. Este já é o terceiro fechamento de um banco anunciado este ano pela FDIC. No dia 9 de janeiro, o 1st Centennial tinha ativos totais de US$ 803,3 milhões e depósitos totais de US$ 676,9 milhões.

O contraponto positivo desse setor vinha da Europa. O Barclays disse que não precisa realizar aumento de capital e o ING fechou um acordo segundo o qual o governo holandês vai absorver 80% das perdas de seu portfólio de 27,7 bilhões de euros em títulos hipotecários Alt-A. O mercado também parece ter gostado do anúncio do ING de que irá cortar 7 mil empregos. Os ADRs do Barclays disparavam 56%, enquanto os do ING avançavam 27%.

Do lado macroeconômico, o destaque da manhã foi o índice de atividade nacional medido pelo Federal Reserve de Chicago, que piorou para -3,26 em dezembro, de -2,78 em novembro. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: bolsa de valores

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG